NEOPENTECOSTALISMO FEMINISTA

Trocando Um Marcelo Por Outro

6.880 Caracteres

Quem pensa que a eleição de Marcelo Crivella (Partido Republicano Brasileiro) para a prefeitura do Rio é um golpe na Ideologia de Gênero e LGBTT, tão marcantes em seu adversário e xará Marcelo Freixo (Partido Socialismo e Liberdade), poderia pensar de novo. Pois Crivella é um membro forte e ativo da Igreja Universal do Reino de Deus, que apesar do esteriótipo, está perfeitamente de acordo com as mesmíssimas pautas neoesquerdistas, ainda que de forma mais discreta.


Para uma evidência recentíssima, vejamos a Edição Número 1.282 (30/10/16 - 05/11/16) da Folha Universal, principal publicação da organização neopentecostal do bispo bilionário Edir Macedo, que logo nas primeiras páginas traz a matéria 'Como é ser MENINA no Brasil', destilando Feminismo em sua mais pura estirpe ao lado de uma foto do próprio Edir.


De imediato, o jornal compartilha a inacreditável afirmação que "...o Brasil é o pior país do mundo para ser menina." Isso mesmo! Deixando bem claro que ter nascido no Haiti, El Salvador, Suriname, Serra Leoa, Uganda ou qualquer outro lugar do planeta, é melhor que no Brasil. A procedência dessa informação é a ONG internacional Save The Children, financiada por várias corporações bilionárias incluindo o Banco de Bostom e o Goldman Sachs, e que já foi acusada de ser manipulada a favor das mega companhias de energia British Gas e Életricité de France, entre outras polêmicas.


Sem qualquer consideração pela realidade, a reportagem destaca que o Brasil possui alta incidência de casamento infantil e baixa escolaridade, fazendo uso do mau e velho truque de confundir propositadamente números absolutos com índices proporcionais, além de, no segundo caso, fingir não saber que a escolaridade feminina no Brasil é, em todos os níveis, maior que a masculina.

Sendo o quinto país mais populoso do mundo, evidente que o Brasil terá números absolutos expressivos em praticamente qualquer coisa. (Tem 3 vezes mais bilionários que a Suécia, por exemplo.) No caso do casamento infantil de meninas, em números absolutos nosso país está em quarto lugar, mas quando se pensa em termos proporcionais ele some de qualquer lista de destaque, como por exemplo dos 20 maiores índices da ONG Girls Not Brides ou da International Center for Research on Women, que tem pequenas variações entre si com praticamente os mesmos países.

A ainda acrescenta uma declaração de outra ONG feminista, no caso Brasileira, o Coletivo Feminino Plural, de Porto Alegre, por meio de sua coordenadora Télia Negrão. Coletivo este que já contou como o apoio público de ninguém menos que Maria do Rosário, e cuja página esbanja amplamente em logomarcas qual é seu viés ideológico.


À quem estuda há mais tempo o assunto, nada disso é surpreendente. É sabido por exemplo que Edir Macedo defende o aborto com praticamente os mesmos argumentos feministas, e que já fez até declarações de apoio ao Movimento Gay reconhecidas até pela mídia "independente" feminista.

Ademais, a IURD é uma organização neopentecostal, que adiciona um viés financeiro, individualista e hedonista em sua bizarra Teologia da Prosperidade, onde as bençãos espirituais são colocadas em segundo plano em favor das "bençãos econômicas", e cuja estrutura de pensamento não merece sequer o nome de Cristianismo, dada o foco desmedido no Antigo Testamento, nas questões financeiras e na simbologia hebraica que lhe dão a essência de um pseudo judaísmo, inclusive com direito a um forte sionismo.

E sendo Edir Macedo um bilionário, já ascendeu à esfera econômica onde estranhamente a mentalidade parece ser padronizada. Não é a toa que teorias conspiratórias sobre sociedade secretas tem tanto apelo, pois a impressão nítida que se tem ao examinar o assunto é que uma vez que alguém ascende à esse círculo financeiro passa a apoiar as mesmíssimas causas que a grande maiorias da população religiosa e conservadora costuma ter aversão.


Não se trata de um simples deslize, ao ponto de trazer para o jornal da IURD uma participação de um Coletivo que tem até uma performance chamada "As Bruxas" no currículo, e que ao lado de um jornal que reclamava contra a "adultização" precoce de meninas, cita uma feminista que usa indiscriminadamente o termo 'meninas' tanto para crianças quanto para mulheres adultas.

Pule para 7:28 para ver a representação do ritual de bruxaria com pedaços de corpos humanos.

Neste lado que promove tal reclamação, temos o Editorial do jornal, que não é assinado, representando então opinião do jornal em si, ao lado de uma mensagem do próprio Bispo Edir Macedo. E nesse editorial temos uma escancarada dose de vitimismo feminista do mais típico que só repete a ladainha de que tudo é pior para as mulheres, máxima de Hillary Clinton para quem até a morte masculina é um mal menor comparado a carência das mulheres. Pouco importa todas as estatísticas vitais, educacionais e criminais, largamente desfavoráveis a homens não só no Brasil mas na maioria dos países mais, ou medianamente, desenvolvidos.


Marcelo Crivella evidentemente subscreve a essa mentalidade ao fazer parte da IURD, mas curiosamente um dos mais fortes motivos para ter sido eleito foi justamente o fato da população não suportar o neoesquerdismo explícito de seu adversário do PSOL. Movimento LGBTT e Ideologia de Gênero não passam de tentáculos adicionais do Feminismo, como todos os demais subprodutos sofismáticos que se vê nas primeiras páginas deste jornal.

Temos então um Liberal Econômico assumido, Crivella, que se elege em nome do repúdio ao Liberalismo Cultural, mas que no fundo também está comprometido com ele. Enquanto por outro lado tivemos um Liberal Cultural assumido, Freixo, que ganhou a maioria de seus votos em nome do repúdio ao Liberalismo Econômico, mas que no fundo, também está comprometido com ele.

Liberalismo Cultural SEMPRE leva à Liberalismo Econômico e vice versa! Por isso um CONSERVADORISMO (cultural) LIBERAL (econômico) é tão insustentável quanto um PROGRESSISMO (econômico) LIBERAL (cultural). São apenas ardis que o Liberalismo encontrou para se infiltrar tanto na Direita quanto na Esquerda. E o simples fato de ambos serem financiados pela nata do Capitalismo Global deveria liquidar qualquer dúvida em quem examina o assunto. Além do fato dos países tidos como mais liberais tanto num sentido serem também os mais liberais no outro, como EUA, Austrália, Inglaterra ou Holanda, ao passo que é justo na Rússia, China ou Coréia do Norte que não se vê nem um nem outro.

Note que até mesmo os posicionamentos das máfias midiáticas paulistanas Globo e Abril confundiram os desavisados, visto que ambas atacaram abertamente Marcelo Crivella apesar da maioria da população, alienada pelos ardis liberais, jurar que se tratam de grupos conservadores e reacionários nesse sentido cultural. Mas além do fato dos Marinho serem concorrentes da Record de Edir Macedo, assim como a Globo a...

"VEJA dá total apoio a pautas progressistas como os direitos homossexuais e o direito ao aborto, mesmo que o faça de maneira mais discreta do que a sua correlacionada “Brasil Post” (versão brasileira da famosa Huffington Post). Ambas são patrocinadas pelo mesmo grupo (Grupo Abril).

Sendo assim, a VEJA pode apoiar o candidato Marcelo Freixo sem medo. Ele dificilmente irá vencer, mas caso vença não irá ameaçar o monopólio da imprensa e ainda poderá avançar algumas pautas importantes defendidas pela mesma."

As pautas da elite bilionária, os menos de 0,0000001% da humanidade, sempre são as do Liberalismo, em oposição franca à maioria esmagadora, dos quais alguns subscrevem ao Liberalismo Cultural, e outros ao Liberalismo Econômico acreditando que estes se opõem, quando no entanto trabalham sinergicamente para os mesmos interesses.

O caso da eleição do Rio é emblemático. Um "Liberal Cultural Assumido / Liberal Econômico Disfarçado" disputando contra um "Liberal Econômico Assumido / Liberal Cultural Disfarçado".

Provavelmente um daria mais ênfase a uma das pautas liberais e talvez até oferecesse alguma resistência, débil e simbólica, à outra, mas a longo prazo a tendência é esses pseudos adversários se revezarem no poder e terminarem avançando o Liberalismo como um todo.

Marcelo por Marcelo, não mudou nem o nome.

Marcus Valerio XR

1 de Novembro de 2016

COMENTÁRIOS


O Estupro Coletivo
da Consciência Social
ENSAIOS



MONOGRAFIAS
Os Titereiros do Capital e
Suas Marionetes de Esquerda