Textos Mais Recentes

O Extermínio
do Futuro

30/01/2020

Existe um Imperialismo Oriental?
12 / 2018

VAMPEL II

Matrimonium Lamia Nocts
21/03/2018


inCompetência e Presciência da Vara de Curitiba
16/09/2017

Gladium Volantis
10/08/2017

VAMPEL
Vocationem Lamia Noctis

23/06/2017

ABISMO NEGRO
Um Clássico da FC

02/06/2017

Feminismo "Benevolente" e Feminismo Radical
15/02/2017

Homens e Aborto
09/02/2017

Globalização, Globalismo e Globismo
24/01/2017


2 0 1 6

Feminismo Neo Pentecostal 01/11/2016

O Feminismo Desvirtuando as Instituições
22/09/2016

Os Titereiros do Capital e suas Marionetes de Esquerda
24/08/2016

A Guerra Contra a Reprodução
03/08/2016

A Família em Desconstrução Linguística
22/07/2016

Muita Sandice numa Burrice Só
18/07/2016

As Águas Sujas da Privatização
30/06/2016

Do Pré-Sal ao Impeachment
O Maravilhoso Mundo das Coincidências Fabulosas

28/06/2016

OBLIVION
Obra-Prima da FC

18/06/2016

O Estupro Coletivo da Consciência Social
14/06/2016

Os 300 da Suécia
26/05/2016

À Espera de
Um Milagre
(econômico)

21/05/2016
2 0 1 5

5 Bobagens Planetárias da FC 26/11/2015

Sensual Kombat
08/11/2015

TELLUS
X
THALASSA

15/07/2015

QUARTO Esboço de uma FILOSOFIA DO CAOS
28/06/2015

A Verdade Sobre Margareth Sanger
Ela NÃO Era Abortista!

28/06/2015

A Dignidade Humana Entre A Esquerda e A Direita
19/06/2015

Pode o Feminismo Não Ser Misândrico?
09/06/2015

Mad Max
Fury Feminist?

28/05/2015

Batalhas Espaciais II
26/04/2015

ABORTISMO
05/03/2015

Aborto à Francesa
05/03/2015

A Queda da Lua
23/02/2015


2 0 1 4

3o Esboço de uma FILOSOFIA DO CAOS
21/12/2014

Invertendo a Igualdade
18/12/2014

Desleitura Feminista em Christine de Pizan
01/12/2014

ESTUPRISMO
18/11/2014

Disputa Semântica
18/11/2014

Por que VEJA odeia o PT?
06/11/2014

Estuprando Números
11/09/2014

rePensando o Feminismo
19/08/2014

GRIDVENCE
15/07/2014

A Fundação do Feminismo
25/06/2014

5.000% de Paranóia
10/05/2014

Pensando nELA
25/04/2014

Atacando uma Ficção
20/04/2014

Estuprando a Justiça
03/03/2014

Entendendo a MISANDRIA
18/02/2014

Heroísmo: O Outro Lado da Masculinidade
18/02/2014

Em Defesa do Patriarcado
03/02/2014


2 0 1 3

Hipótese Benevolente à Cruzada Anti-Reprodutiva
31/12/2013

A Cultura do ESTUPRO
28/11/2013

O Estupro da CULTURA
28/11/2013

Expressar ou Doutrinar?
26/09/2013

Traindo o Movimento
27/08/2013

Filosofia, Ideologia e Militância
26/08/2013

Infeliciana Homofobia
17/08/2013

As Ovelhas e os Memes
13/08/2013

Complexo de Paraíso Perdido
06/08/2013

Financiamento Público de Campanha
12/07/2013

Cavalheirismo é Sexismo?
10/07/2013

'DeZrazões' Para Liberar as Drogas
11/05/2013

Meta-Teoria da Conspiração
11/05/2013

O Fantasma de CHE
11/05/2013

Revolução Digital
11/05/2013

VEJA - Um Tiro na Cabeça
11/05/2013

Da ESQUERDA para TRÁS
02/04/2013

A Cara do BRASIL
15/03/2013

HIPERGAMIA - Fundamentação
02/02/2013


2 0 1 2

GenoGênese
21/12/2012

Simbolismo do Aborto
16/11/2012

O Argumento Decisivo
16/11/2012

Aborto Repensado
16/11/2012

Em Defesa do Estado
03/10/2012

Reflexões Mentalistas - Virtualidade Real
30/09/2012

2o Esboço de uma Filosofia do CAOS
04/07/2012

Hipergamia 2.5 Adendo - 1 Ídolos
03/07/2012

O Escudo do Capitão América
13/06/2012

MARX X Marxismo
01/06/2012

Da ESQUERDA para BAIXO
13/05/2012

GINOTOPIA - Hipergamia V
03/05/2012

Lesbianismo
03/05/2012

Estado X Indivíduo
04/03/2012

Das Indestrutíveis Idéias
04/03/2012

A Revolta dos Titãs
09/02/2012

1o Esboço de uma Filosofia do CAOS
30/01/2012

Hora, Data, Temperatura
26/01/2012

Ateísmo e Relativismo
21/01/2012


2 0 1 1

Religião Musical
26/11/2011

Calendários Alternativos
22/11/2011

Vôos, e Quedas, Ideológicos
10/11/2011

Horário de Verão no Brasil
07/11/2011

Hipergamia
Introdução

27/09/2011

Hipergamia IV
Atração Sublimada

27/09/2011

Hipergamia III
Atração Social

19/09/2011

Hipergamia II
Atração Imoral

11/09/2011

Hipergamia I
Atração Fatal

08/09/2011

Pornografia e Machismo
25/08/2011

Viagens Espaciais
18/06/2011

Teletransporte
18/06/2011

Viagem no Tempo e Paradoxo Temporal (Finalizado)
14/06/2011

Heróis de ESQUERDA X Heróis de DIREITA
10/03/2011

ZUMBIS à Esquerda, VAMPIROS à Direita
10/03/2011

RY-5
10/03/2011

Crônica de GRADIVIND
26/11/2011

Eu Sou A Lenda
25/11/2011

Histórico de Textos Publicados
2 0 2 0
31 de Maio - 22:16

Acrescento aqui que quando só tinha dois casos confirmados, o DF foi pioneiro da prevenção e decretou ampla e imediata suspensão de atividades em 11 de Março. O governo do Goiás fez o mesmo no dia 17. Até hoje, estão entre as unidades da federação menos afetada pela pandemia.

Já São Paulo demorou mais de uma semana, com uma suspensão gradual que começou no dia 16 e se consolidou dia 23. Rio de Janeiro decretou no dia 21. E vale lembrar que são muito mais populosos é já haviam sido atingidos pela pandemia antes do centro oeste. O Amazonas, estado que proporcionalmente tem a situação mais grave, também só adotou medidas de suspensão dia 23 de Março.

Há contra exemplo. Ceará decretou em 16 de Março para efeito imediato e a situação é gravíssima, já o Mato Grosso do Sul, embora decretado também em 16, passou a ter efeito dia 23, e é um dos estados menos afetados.

Isso porque os estados são atingidos pela pandemia em momentos diferentes, sendo os litorâneos mais rapidamente alcançados que os interioranos por motivos óbvios. Rio e SP, evidentemente, são os estados que mais recebem visitantes estrangeiros.

E há que se levar em conta também a população e densidade populacional, a qualidade do sistema de saúde e o grau com que a população efetivamente consegue aplicar o isolamento social e outros fatores. Mas é fato que já temos uma imagem bastante clara do grau de eficiência das medidas de prevenção. O caso do Brasil reflete o do restante do mundo: quanto mais cedo se aplicou medidas de isolamento, menos foi impactado pela pandemia, respeitando, claro, o ordenamento geográfico.

E o que conclui, também, o relatório da Agência Brasileira de Inteligência, contrariando, como todos os seres racionais e éticos, o sociopata genocida de presidência e seu séquito e cúmplices nos crimes contra o país.

Agora ficou claro porque Bolsonaro disse que havia "problemas" dentro da ABIN e porque ele não contava com ela para obter informações. Assim como teve problemas no INPE, no Ministério da Saúde e está tendo na PF.

O bolsonarismo pode comemorar o cumprimento de um dos mais antigos desejos do calhorda que elegeram, matar "30 mil brasileiros". E não precisam se satisfazer só com isso. Já passamos a França em número total de mortes e iremos passar a Itália. Garantiremos, NO MÍNIMO, a medalha de bronze em óbitos por coronavírus.

Versão para não assinantes: OUTLINE - Informes da Abin destacam benefício da quarentena e citam subnotificação
Original para assinantes: ESTADÃO - Informes da Abin destacam benefício da quarentena e citam subnotificação

31 de Maio - 04:08

Tochas, roupas pretas, máscaras de Jason (assassino da franquia Sexta-Feira 13), Ghost Face (assassino da franquia Pânico (Scream)) e outras coisas bizarras, som de um "berrante" que na verdade é o som dos Tripods de Guerra dos Mundos (2005) de Steven Spielberg que vieram para exterminar a humanidade.

Um evento MACABRO, TENEBROSO, e muitos estão dizendo, com muita justeza, até SATÂNICO!

Acabou! Todas as chances de sair com dignidade dessa seita demoníaca há muito se acabaram. Daqui pra frente, TODO BOLSONARISTA QUE RESTAR É UM CANALHA DESPREZÍVEL!

30 de Maio

O link Mortes por coronavírus no Brasil por milhão de habitantes - Ranking por estados presta o util serviço de informar a mortalidade proporcional por cada estado de nossa federação, e o link Covid-19 por cidades: mortes por milhão de habitantes, do mesmo jornal, faz comparação por cidades mais afetadas em três recortes de contigente populacional. A lista não é exaustiva, mas já dá excelente ideia da distribuição dos casos, e quebra de forma definitiva a noção de que o Novo Coronavírus seja mais letal no frio. Parece até o contrário.

São Paulo é o único estado onde o calor é menos característico, os demais são todos norte e nordeste. O mesmo ocorre na lista de cidades com maior quantidade de habitantes, só havendo anomalias em cidades com menos de 30 mil habitantes, onde se destaca Saldanha Marinho - RS, aparentemente a cidade com maior índice de mortes por milhão, 1.509, mas isso são apenas 4 óbitos numa população de 2.650 habitantes. Há outros casos com apenas uma morte, mas que pelas pequeninas populações, tem uma taxa enorme.

Isso serve de excelente exemplo para demostrar não ser cabível comparar todos os "países / estados / cidades" numa lista única. No link geral do Worldometers, o Brasil está em 23º, mas descartando países com menos de um milhão de habitantes, alguns são ilhas com poucos milhares, ficamos em 15º (Surpreendentemente o Peru nos passou de novo!)

Há quem suba ainda mais o limiar de corte, mas justifico o de um milhão porque se subirmos para 10 milhões, excluímos apenas mais um país com índice maior que o Brasil.

Por fim, o bom de usar material da Gazeta do Povo é que este é um órgão de imprensa escancaradamente bolsonarista, neutralizando por antecipação a impostura de desclassificar automaticamente órgãos críticos ao governo mesmo quando publicam dados universalmente corroborados.

Embora eu tenha a impressão que ultimamente até a Gazeta do Povo também está tomando vergonha na cara.

29 de Maio - 20:11

Com mais de 27 mil mortes oficialmente confirmadas, entramos no TOP 5 de número de óbitos por SARS-Cov2, superando a Espanha e sem possibilidade de reversão dessa colocação. Pelo contrário, é certo que superaramos a França também, o primeiro país a acreditar em cloroquina. O segundo foi os EUA.

Em número proporcional permanecemos no 14º lugar*, com 128 mortes por milhão de habitantes, após termos emparelhado com o Peru, que chegou a retomar a posição por um tempo, após ter sido passado por nós, mas agora ficou pra trás em definitivo. E também é certo que passaremos de Portugal, no mínimo. (*Considero somente países com mais de um milhão de habitantes.)

Lembrando que em todos os demais continentes as mortes diárias estão decaindo, até nos EUA. As nossas ainda estão subindo, e que é impossível que tenhamos menos de 55 mil mortes, quase certo que teremos bem mais, muitos já prevendo mais de 100 mil.

Nesse cenário, as medidas de isolamento social estão sendo relaxadas! Afinal, com o governo deliberadamente sabotando o auxílio emergencial a desempregados e pequenas e médias empresas, ao passo que injetou de graça 1,3 trilhão de liquidez para bancos, não resta outra alternativa para dezenas de milhões de brasileiros saírem as ruas para garantir a sobrevivência às custas do aumento de mortes pelo maior contágio. E isso enquanto ameaça que os beneficiados terão que DEVOLVER O AUXILIO!

Paralelo a isso, o PIB revelado do primeiro trimestre foi de -1,5%, o pior desde o início da crise em 2015, e isso ANTES DA PANDEMIA ter qualquer efeito relevante! Graças a política econômica liberal de Paulo Guedes, que jurava que a nossa economia estava "decolando"!

E enquanto isso, no meio da maior combinação de crises de saúde, economia, e política da história, o sociopata da presidência que já havia condecorado deputados pelo fato de serem seus filhos, condecora um procurador da república pelo fato de tê-lo blindado, e a sua quadrilha, de investigações, e condecora um ministro da educação pela quebra do recorde histórico de diarréia verbal.

E a corja bolsonarista segue aplaudindo o genocídio de seu próprio povo, o isolamento intencional do próprio país e a destruição da economia!

29 de Maio - 01:25

A economista Solange Vieira já foi considerada por uns como "A Musa da Reforma da Previdência", conquistou a confiança de Paulo Guedes a ponto de ser colocada para liderar a autarquia Superintendência de Seguros Privados, e foi considerada uma das 100 pessoas mais influentes do Brasil em 2009.

Segundo a Reuters, em meio à pandemia, ela teria dito a já célebre frase: “É bom que as mortes se concentrem entre os idosos… Isso melhorará nosso desempenho econômico, pois reduzirá nosso déficit previdenciário.”

Se realmente o disse não foi provado, mas é fato de que é exatamente isso que muita gente tem pensado ou dito a boca pequena, e é impossível que Bolsonaro e Guedes não achem o mesmo.

Mas além de insensível, essa noção é estúpida, pois o SARS-Cov2 não faz uma seleção criteriosa dos idosos mais, digamos, "deficitários", e sim mata de forma indiscriminada muitos que ainda são produtivos, que movimentam a economia, sendo um dos mais pujantes segmentos de mercado consumidor, cujas mortes flagelam famílias de um modo que mesmo de um ponto de vista econômico maquiavélico não pode ser considerado vantajoso, pois a maioria tem na aposentadoria do ente querido fonte de renda relevante, e fica psicologicamente afetada ao ponto de se ausentarem do trabalho e terem desempenho prejudicado.

E o pior. Numa vasta quantidade de casos, essas pessoas passam vários dias, mesmo semanas, em UTIs. Um único mês numa UTI pode sair muito mais caro do que a aposentadoria que muitos desses falecidos ganhariam por anos, com a diferença que esta ainda movimentaria a economia.

Nem é preciso lembrar que muitas pessoas mais jovens e plenamente produtivas também tem morrido, ou ao menos passado longos períodos internadas não raro ficando com sequelas que, mais uma vez de um ponto de vista calculista e frio, resulta em prejuízo sócio econômico evidente.

E nem seria necessário ir muito longe. Que tipo de demente pode acreditar que o estrago econômico que essa pandemia tem causado poderia ser vagamente compensada por uma "melhora de desempenho previdenciário"?

No caso da Itália, por exemplo, cujos idosos constituem mais de 22% da população, apesar de catastrófico, o Novo Coronavírus matou apenas um fração desses mais de 13 milhões de beneficiários da previdência. Ainda que eles tivessem simplesmente desaparecido sem qualquer impacto maior na saúde, essa "economia" seria insignificante!

Além de uma perfídia abjeta, outro pré requisito para levar isso a sério é uma estupidez imensa que impossibilita qualquer senso de realidade!

Mas é exatamente assim que pensa Paulo Guedes e qualquer um de seus asseclas neoliberais de Chicago. Uma completa cegueria para a complexidade social mesmo em aspectos que tem impacto econômico direto, uma ignorância brutal sobre tudo o que importa no terreno concreto da economia, só tendo olhos vidrados para o aumento dos lucros de banqueiros, financistas e parasitas rentistas.

Que a economia não tenha a menor chance de melhorar por meio dessa esquizofrenia neolib já foi recentemente atestado, pela enésima vez, pelo fato de estarmos há 5 anos incessantes de políticas liberais, estelionato eleitoral de Dilma Rousseff incluso, só agravando mais e mais a estrutura produtiva do país.

E agora, com o estrago que essa pandemia está fazendo, como raios uma matilha de cretinos dessas poderia fazer qualquer coisa pela recuperação econômica a não ser, talvez, jogando no lixo tudo o que sempre acreditaram? (Coisa que Guedes se recusa a fazer com irrestrito apoio do sociopata da presidência.)

Isso é o "pensamento" econômico liberal atual! O principal suporte do governo Bolsonaro, sem o qual ele cairia no dia seguinte.

E o restante desse suporte é tão nefasto e espúrio quanto.

29 de Maio - 00:20

Interessante e preocupante texto sobre as milícias. Marielle Franco contra a Franquia do Crime por Gustavo Gollo - A Franquia funciona como um sistema de apoio às milícias, grupos constituídos por pessoal com treinamento policial – incluindo policiais da ativa –, que se encarrega de gerir todas as atividades ilegais em um determinado território.

28 de Maio - 11:55

Isto é um verdadeiro deleite! Primeiro, ela está certíssima de uma forma geral, errando apenas na especificidade. Sérgio Moro foi comprado sim, só que há muito mais tempo, uns 7 anos pra ser mais exato. E se seu comprador é o maior império do planeta, você vai se comprometer com milicianozinho carioca? Carla Zambelli a Moro: "Você não estava à venda porque já estava vendido"

Segundo, nada disso parecia incomodar a senhora Zambelli e companhia quando era contra Lula e o PT, não é mesmo? Com a diferença que as evidências eram tão difusas, por vezes inexistentes, que dependiam mais de convicções. E mesmo assim o partido no poder não reagiu nem legal e muito menos ilegalmente.

Enquanto isso, a horda psicótica bolsonarista ameaça fazer uma guerra civil em seu delírio de que teriam ao seu lado mais do que algumas centenas de imbecis.

28 de Maio - 09:47

Sara Winter is coming


27 de Maio

Hang Luciano!

26 de Maio

Quase uma semana sem computador, dificultando tudo! Tanta coisa pra fazer...

Acabo de receber meu laptop que estava em reparos, mas apenas para extrair meus arquivos mais importantes, porque não vai durar muito tempo. Pra ter uma ideia tô digitando isso num tablet com um teclado externo, porque o laptop tá instável e travando. Entre ter que comprar um novo HD, uma nova bateria caríssima e outros itens, além de ainda ter que arranjar um Windows, talvez seja melhor comprar outro.

Tô quase comprando um Samsung X60, pra substituir meu Samsung Ativ Book 6, aquele que tive que defender a facão certa vez. Mas o preço sofre de um certo excesso de cloreto de sódio.

Alguém recomenda alguma opção similar mais em conta? Preferencialmente i7, como é o caso desses dois, ou se não com ao menos 12gb de RAM. E se for branco eu faço ainda mais concessões! Ou pelo menos tiver iluminação ativa, como o meu atual tem mas o X60 não!

Marcas preferencialmente asiáticas, por favor.

PS: acabei comprando o X60 mesmo.

24 de Maio

Para o ministro Ricardo Salles
('sales' em inglês),
o MMA é Vale-Tudo!

23 de Maio - 23:22

Breve análise da versão completa do vídeo ministerial.


23 de Maio - 20:58

Mortes por COVID-19 por Milhão de habitantes, considerando somente países com população superior a um milhão. É a terceira vez que publico esta lista. Na primeira, 19 de Abril estávamos no 34° lugar, abaixo da média mundial. Na segunda, 10 de Maio já estávamos acima da média, no 20° lugar, e eu disse que o número iria mais que dobrar.

01 Bélgica 797
02 Espanha 613
03 Reino Unido 541
04 Itália 541
05 França 434
06 Suécia 396
07 Holanda 339
08 Irlanda 325
09 EUA 298
10 Suíça 220

11 Equador 176
12 Canadá 169
13 Portugal 128
14 Brasil 103

Certamente passaremos Portugal, uma vez que atualizando a previsão, cujo método expliquei em 29 de Abril e tem se revelado eficaz, teremos, NO MÍNIMO 46 mil mortes, pois nosso número de mortes diárias ainda está subindo enquanto o de TODOS os demais países da lista está descendo ou está no platô.

Há dúvidas de que entraremos no Top 10, muito provavelmente sim, mas que ficaremos no mínimo em 11° eu tenho certeza.

Dados do Worldometers.

22 de Maio

BOLSONARO WINS! A melhor coisa que já aconteceu para o Governo! Com esse vídeo ele recupera o que quer que tenha perdido nos últimos meses, e ganha um upgrade, quase um Power Up!

Provavelmenteo Weintraub vai se ferrar, mas até isso só vai melhorar o Governo.

E eu me vejo obrigado a repensar um bocado de coisas.


21 de Maio

Não é preciso muito esforço para deduzir coisas similares quando se observa o fato simples que o Império mais poderoso que já existiu, que invade dezenas de países, controla centenas de outros econômica, política e culturalmente, derruba governos e arrasa nações inteiras, "não consegue" acabar com um simples cartel criminoso cujo negócio eles mesmos usam e movimenta bilhões de dólares, dentro de um de seus países vassalos.

Filho de Escobar faz revelação:
"O meu pai trabalhava para a CIA"

O filho do célebre narcotraficante colombiano ‘abriu o livro’ e afirmou que as autoridades norte-americanas estavam ligadas aos negócios obscuros do Cartel de Medellín.

19 de Maio

Muito mais que ter apoiado a ditadura, ter sido bolsonarista será uma mancha a arruinar qualquer reputação no futuro.

18 de Maio

E enquanto você nunca ouviu falar disso, com certeza já ouviu milhares de vezes sobre o suposto massacre na Praça da Paz Celestial da qual A ÚNICA imagem que temos é de tanques de guerra se recusando a atropelar um civil.

Lucas Rubio
18 de Maio

40 anos do Massacre de Kwangju: o dia que o governo da Coreia do Sul massacrou seus cidadãos (e o mundo esqueceu).

O dia 18 de maio de 2020 marca os 40 anos do início do Massacre de Kwangju, uma série de repressões do governo sul-coreano em 1980 contra a população da cidade de Kwangju, que se rebelou contra o regime autoritário.

Após a Guerra da Coreia, a Coreia do Sul mergulhou em obscuros anos de sucessivos golpes militares e regimes totalitários que perseguiam sistematicamente movimentos operários, estudantis, pró-democracia e pró-reunificação. Um dos piores ditadores da Coreia do Sul foi Park Chung Hee, que ficou quase 20 anos no poder. Ele saiu da presidência morto em um atentato e logo em seguida um golpe militar levou ao poder Chun Doo Hwan, major-general apoiado pelos Estados Unidos.

Chun Doo Hwan iniciou então um rígido período de repressão política e assinou a lei marcial, colocando toda a Coreia do Sul sob estado permanente de alerta.

Suas ações geraram reações por parte da população. Grupos estudantis e de trabalhadores irromperam em manifestações que reuniam milhares de pessoas por todo o país, incluindo a capital Seul. As demandas do povo incluíam pedidos de melhores salários, liberdade de imprensa, direitos sociais e emprego.

O governo respondeu decretando o fechamento das universidades - de onde emanavam boa parte dos movimentos - e o aperto da censura à jornais e meios de imprensa que foram proibidos de noticiar qualquer manifestação contra o governo. Se seguiram também prisões em massa.

Um verdadeiro levante se deu na cidade de Kwangju, que teve suas principais ruas e praças lotadas por centenas de milhares de manifestantes.

Chun Doo Hwan então fez a única coisa que um ditador sabe fazer: enviou tropas de elite do exército da Coreia do Sul, os "boinas negras" (conhecidos por sua selvageria e violência nas ditaduras anteriores), para reprimirem as revoltas em Kwangju.

Sob tutela do governo dos Estados Unidos, que mantém bases e milhares de soldados na Coreia do Sul, o exército sul-coreano avançou com soldados e tanques sobre a população, que até então se manifestava pacificamente. A polícia militar espancou e cercou mais de 3.000 pessoas na praça da cidade e o exército atirou contra os manifestantes.

A população então rapidamente se levantou e se organizou em milícias armadas, se apropriando de armas de delegacias e reagindo às ações hostis e desmedidas dos boinas negras. A resposta foi mais repressão: uma onda incontrolável de violência foi lançada pelo governo para suprimir a todo custo os manifestantes, que agora estavam armados. O exército sul-coreano usou helicópteros dos Estados Unidos para atirar contra alvos revoltosos. Tanques passavam por cima das pessoas.

A cidade se tornou um verdadeiro campo de batalha. Além dos tiroteios, o governo levou presos milhares de pessoas, na maioria jovens estudantes, que foram sistematicamente torturados e mortos nos porões da ditadura. Sobreviventes relataram casos de estupros também. Fotografias do Massacre de Kwangju revelam as ações dos militares, que espanaram pessoas ruas ruas e as alvejou como se fosse animais. Em cada esquina, amontoavam-se os corpos.

O Massacre duraria dias e só terminaria em 27 de maio de 1980. Chun Doo Hwan obteve sucesso em reprimir a cidade de Kwangju e manteve-se no poder até 1988.

Na época, o governo oficialmente divulgou que apenas duas centenas de pessoas haviam morrido no conflito, mas fontes independentes analisam que o número verdadeiro de mortos pode chegar a mais de 2.000.

As cenas do Massacre foram passadas na TV da Coreia do Norte, onde a população assistiu horrorizada o que acontecia com os irmãos do sul. (Você pode ver a transmissão da TV norte-coreana aqui: https://youtu.be/wU1Oj1pUmj8).

Um ano após o Massacre de Kwangju, Chun Doo Hwan foi recebido na Casa Branca pelo então presidente dos EUA Ronald Reagan como convidado de honra. Reagan chamou Chun de "um homem forte".

Em 1983, o ditador sul-coreano sofreu um atentado na Birmânia que quase o levou à morte. Especula-se que o atentado foi uma obra da Coreia do Norte.

Chun Doo Hwan foi julgado em 1996 e condenado à pena de morte por sua atuação assassina em Kwangju, mas foi perdoado pelo governo.

Ele vive confortavelmente até hoje e tem 89 anos.

Hoje em dia, há memoriais na cidade de Kwangju para relembrar as vítimas do massacre, que não é o único da história do Estado sul-coreano.

Nunca ocorreu nada parecido na vizinha Coreia do Norte.



Lucas Rubio
Presidente do Centro de Estudos da Política Songun - Brasil

17 de Maio - 16:04

E eis que profissionais e Instituições científicas renomadas, públicas e privadas, dos mais avançados países do mundo, promovendo pesquisas médicas complexas na tentativa de conter a catástrofe que assola o globo, são agora avaliadas por formandos em faculdade de WhatsApp com residência em Twitter, que não sabem o significado da palavra 'posologia' e só precisam ler meia matéria em alguma mídia, que consideram lixo, para corrigir as pesquisas publicadas em plataformas acadêmicas das quais não leram nem o Abstract!

Por que ninguém avisa a Bélgica, a Itália ou a Espanha que o Brasil está cheio de especialistas capazes de resolver seus problemas em menos de 256 caracteres?

Ou mais. Por que não vão agora mesmo para o Albert Einstein ou para o Sírio-Libanês salvar vidas, uma vez que os profissionais de lá parecem estar precisando da estupenda sabedoria dos bolsominions de exatamente quanto de C18H26ClN3 ou C18H26ClN3O deve ser administrada sem sequer levar em consideração o peso do paciente? Afinal, como pelo jeito nunca deram nem Tylenol pra criança na vida, não sabem que dosagens não são fixas, e sim são calculadas à base de mg / kg!

Já que temos criacionistas ensinando biologia e terraplanistas ensinando geografia, por que os cloroquinistas não vão lá ensinar médicos e cientistas a como fazer seu trabalho?

Talvez seja porque não se decidiram se acreditam que um remédio milagroso revelado pelo seu messias curará um letal vírus "chinês" em nome de Jesus, ou se tudo não passa de uma conspiração envolvendo o mundo inteiro, que com mortes fictícias e enterros com caixões vazios pretende derrubar da presidência um fascínora que não precisa de ajuda de ninguém para derrubar a si próprio.

Bolsonarismo é doença mental!

17 de Maio - 10:29

Em 13 de Abril falei sobre outros 3 líderes mundiais que compartilham com Bolsonaro a negação ou menosprezo sobre o Coronavírus, deixando bem claro que sob qualquer ponto de vista minimamente bolsominion que se preze, todos eles, Aleksandr Lukashenko, Daniel Ortega, Gurbanguly Berdimuhamedow, são inequivocamente "comunistas".

Agora, outro líder, John Magufuli, o presidente da Tanzânia, se junta ao grupo, também tendo protagonizado hilário episódio em termos de subestimação da pandemia, e mais uma vez, qualquer olhada em seu currículo político ideológico levará qualquer liberal que se preze a considerá-lo no mínimo socialista.

Pra completar, Nicolas Maduro acaba de se fazer notório por um endosso público à cloroquina. Há certo exagero aí, visto que se resumiu a citá-la num tweet onde elogiava os médicos de seu país. E vale lembrar que sob brutal embargo comercial imposto pelos EUA, e tendo mais dificuldade de obter medicamentos mais sofisticados, se torna mais compreensível que apele ao que tiver em mãos.

De qualquer modo, a Venezuela tem apenas 10 mortes confirmadas por COVID-19, sendo um dos países com mais baixo índice de morte por milhão de habitantes, 0.4, o menor da América do Sul, curiosamente, o mesmíssimo índice da Tanzânia com um total de 21 mortes confirmadas num país de quase 60 milhões de habitantes.

Situação tranquila também é a da Nicarágua de Ortega, que tem o menor índice da américa central, 1 (8 mortes confirmadas). Um pouco pior está a Bielorússia, com 17 (160 mortes), e do Turcomenistão, o Worldmeters não dá dados, e é de se desconfiar mais, visto fazer fronteira com o Irã. Porém, seus outros países fronteiriços, Afeganistão, Casaquistão e Usbequistão, também não tem apresentado índices preocupantes, bem como as regiões iranianas que lhe são fronteiriças.

E para os que desconfiem dos demais países, ocorre o mesmo. Seus vizinhos, muito menos suspeitos de esconder dados, também não tem apresentado quadros alarmantes. E seguramente nenhum orgão mundial jamais diria que possuem situação que nem de longe se assemelhe à do Brasil, com nosso indice de 74 (mais de 15 mil mortes), e é aí que está o ponto.

Fica fácil subestimar o problema quando ele de fato não é grave no seu território, e assim, de todos os países citados, O ÚNICO no qual a situação é mundialmente preocupante é o Brasil. SOMOS O ÚNICO PAÍS com um quadro grave de COVID-19 cujo presidente insiste em subestimar a pandemia, contraria todas as recomendações especializadas de saúde, agindo de forma complemente irresponsável e descabida.

No meu post anterior, cheguei a dizer que Bolsonaro estaria "bem acompanhado", mas olhando por esse ângulo não. Os outros líderes estão em situação bem mais confortável para fazer pouco caso da ameaça.

Bolsonaro está sim, sozinho em seu delírio genocida.

15 de Maio - 18:30

É por isso que Bolsonaro quer interferir no PF! Vocês que não entenderam nada! 'Prato feito' brasileiro tem tamanho exagerado e excesso de calorias

15 de Maio - 15:21

A novela Brasil 2020 surpreende apenas nos ornamentos, pois a estrutura narrativa básica desta tragédia é perfeitamente previsível, variando só em quanto tempo irá durar e quantas voltar irá dar até seu desfecho melancólico final.

Após a demissão de Nelson Teich, seria até possível que fosse colocado outro personagem para continuar fazendo uma abordagem técnica tal qual Mandetta, devido o gosto pela vitimização perpétua do Paciente Zero, visto haver disposição dos roteiristas para encher linguiça esticando a temporada. Mas se decidido passar logo ao próximo capítulo e a Rainha de Copas colocar outro tresloucado para fazer exatamente o que sua insanidade determina, o que teremos é, além de uma demissão de vários quadros ainda técnicos que ainda permanceçam no Ministério da Saúde, um isolamento ainda maior do Governo Federal.

As sociopatias genocidas que emanarem deste novo ministério simplesmente serão ignoradas pelos governadores e isoladas pelo Congresso e pelo STF, abrindo espaço até mesmo para o surgimento de um Ministério paralelo, talvez até encabeçado por Mandetta, que possivelmente se organizaria em Goiânia sob os auspícios de Ronaldo Caiado. Mas não haverá real suspensão das políticas de saúde que já estão funcionando à margem da Presidência da República, mas ainda estavam afinadas com um Ministro da Saúde que apesar de severos problemas, ao menos ainda tinha a saúde mental em dia.

O fato é que o Grande Mentecapto apenas conseguirá ficar ainda mais longe de qualquer influência formal real, passando a "governar" cada vez mais por meio de sua horda de fascínoras e criminosos milicianos, conseguindo a façanha de degradar ainda mais a horrenda imagem do país rumo ao fundo do poço do ato final da tragédia.

15 de Maio - 07:56

O artigo de Hamilton Mourão publicado no Estadão, "Limites e Responsabilidades" merece o apelido de LIMITADO E IRRESPONSÁVEL. Sem arbitrariedade! Justifico esses adjetivos.

Começa dizendo o óbvio, e merece ter destacado, no incontestável segundo parágrafo, que nenhum país "...vem causando tanto mal a si mesmo como o Brasil. Um estrago institucional que já vinha ocorrendo, mas agora atingiu as raias da insensatez, está levando o País ao caos e pode ser resumido em quatro pontos."

No primeiro ponto, POLARIZAÇÃO, peca pela omissão completa da responsabilidade do Presidente da República, que é o principal fomentador da hostilidade contra os adversários políticos e ideológicos. Nenhum outro presidente da era democrática jamais chegou ao poder dizendo que irá "acabar com uma vertente política ou ideológica" que é indelével na sociedade, nem que irá "fuzilar membros do partido adversário", e menos ainda com hostilidade escancarada contra a imprensa. Não que esta não mereça, e nisso aponto uma das limitações do artigo, a falta de uma crítica séria ao 4° Poder que poderia facilmente ser feita de modo justo e objetivo. Mas o vice presidente General, ainda que alguém possa inferir uma discretíssima alfinetada indireta em seu superior Capitão, prefere fingir que seu chefe nada tem a ver com o fato de ter conseguido a façanha de unificar quase todas as frentes minimamente sãs e racionais do país contra si.

No ponto segundo, DEGRADAÇÃO DO CONHECIMENTO POLÍTICO, essa isenção irresponsável já sobe para um nível surpreendente, como se não fosse notório que nunca antes na história deste país tivemos um chefe do estado tão absurdamente ignorante sobre absolutamente tudo o que importa. E ao babar ovo dos EUA, uma de suas especialidades, Mourão mostra mais uma vez sua limitação intelectual, ao ignorar o fato de que os EUA tendem sim mais a uma Confederação do que o Brasil, aliás já o foram de fato, e ao contrário da lendária gafe de José Serra, o modelo "Estados Unidos" se diferencia de "República Federativa" justamente por, no primeiro, haver maior grau de independência dos estados em relação à união. Aliás isso é uma obviedade histórica verificável pelo fato dos EUA terem surgido antes de tudo pela união "espontânea" de 13 colônias com um objetivo em comum, ao passo que o Brasil surgiu, enquanto nação, como um Império! No Brasil, a União tem muito mais força em relação aos estados do que nos EUA, MAS... DESDE QUE ela efetivamente governe! O que pressupõe aquela harmonia entre os 3 poderes que o capetão capitão não faz a menor ideia de que deveria existir. Em seu delírio, só o imbecil pensa que é, ou deveria ser, um imperador.

Disso passamos ao terceiro ponto, da USURPAÇÃO DAS PRERROGATIVAS DO PODER EXECUTIVO. Mais uma vez, aqui o General culpa todo mundo, menos o irresponsável incapaz de governar sequer a si próprio. Se o Presidente da República não tem capacidade nem para se relacionar com o próprio partido pelo qual se elegeu, como o infeliz poderia gerir um país!? Sendo o governante sempre um espelho de seu eleitorado, como raios é possível esperar um mínimo de postura de quem fomenta e endossa manifestações contra os demais poderes da república e contra a própria ordem democrática?! O Congresso, o STF e os executivos e legislativos estaduais e municipais não tem outra escolha se não fazer aquilo que o esquizofrênico no Palácio do Planalto é absolutamente incapaz, e nisso contam com o apoio massivo de suas populações, somente contaminada pela corja bolsonarista hedionda que, mesmo minoritária, é um câncer sempre ameaçando o país.

Mas é no quarto, e por sorte último, ponto que Mourão consegue atingir o nível máximo de demência só mesmo comparável ao de seu mandatário. O PREJUÍZO À IMAGEM DO BRASIL NO EXTERIOR é, para este que envergonha as etnias indígenas, culpa não da criatura mais repudiada internacionalmente a já ter assumido o cargo máximo do país! NÃO! Pra ele a culpa é de personalidades que outrora já representaram a política externa brasileira de forma praticamente irrepreensível. Diga-se o que quiser de FHC (até que mereça ser fuzilado), mas tal qual Lula, o mundo inteiro o respeitava ou até admirava. O mesmo pode ser dito de quase todos os assinantes do texto "A Reconstrução da Política Externa Brasileira", que eu próprio comentei no dia 12. Mais uma vez, de modo absurdamente irresponsável e irresponsabilizante, Mourão isenta o sacripanta que ofende esposas de outros chefes de estado, acusa ONGs e atores hollywoodianos por crimes de sua responsabilidade, posta indecências em redes sociais e é universalmente execrado pela totalidade dos demais países, em especial suas imprensas, não bastasse já o ser pela imensa maioria da imprensa nacional.

Talvez a maior tragédia do texto do General Mourão é que ele não seja justamente o que estão dizendo, e temendo, que ele seja. Golpista! Quem dera o fosse! O texto na verdade tem um propósito bem claro de jogar um balde de água fria nos entusiastas do impeachment, deixando claro quem eles terão na presidência assim que nos livrarmos do cancro que ameaça necrosar o país inteiro.

14 de Maio

Eis como funciona um fenômeno psicossocial fantasioso.

Ninguém estava preocupado com o assunto, mas foi só a USAF revelar uns vídeos e reconhecer que alguns objetos voadores não foram identificados, que de repente todo mundo começou a ver OVNI pra tudo quanto é lado.

Desde patricinhas influencers que notaram pela primeira vez na vida as luzes de uma torre de um prédio que sempre esteve na frente da janela dela, quanto desconhecidos que divulgam vídeos repletos de falas emocionadas e dramáticas onde não se vê porcaria alguma.

Dá até pra entender que num momento como este queira-se dar atenção a outras coisas, mas essa onda irá passar tanto quanto os "hits" das semanas anteriores como a pseudo morte de Kim Jong-un ou a pseudo ameaça de Terceira Guerra Mundial da Rússia.

Só serve mesmo para nos lembrar de refletir sobre alguns assuntos, por isso subi um vídeo no meu YouTube sobre OVNIS.

Obs: na foto, uma animação aleatória baseada na concepção da nave extraterrestre do esquecido mas interessantíssimo filme COCOON, de 1985.

13 de Maio - 23:33

NOITE ADENTRO, da Netflix, infelizmente não é a adaptação do livro do Gilmar Milezzi, mas é uma série que merece ser vista por ao menos três motivos.

1 - É uma produção belga falada em francês, embora com a presença ocasional de outros idiomas. É sempre bom fugir da mesmice da séries anglófonas, em especial as hollywoodianas;

2 - Com apenas 6 episódios de menos de 40 minutos cada, a série é perfeita para ser vista de uma tacada só. E o próprio ritmo da estória, que ao todo cobre umas 24 horas, demanda isso, visto que as tramas são contínuas.

3 - Tem uma premissa inédita, razoavelmente bem explicada, ainda que de forma breve, em termos de especulação científica, embora ainda aberta a ser desenvolvida. O que temos é algum fenômeno relacionado a oscilações do campo magnético solar e alta incidência de radiações gama que por algum motivo faz com que o Sol mate instantaneamente tudo o que sua luz toca.

Por isso, uns poucos sobreviventes em um boeing se vêem obrigados a voar constantemente rumo ao oeste, fugindo do nascer do Sol, nas partes mais altas da zona temperada, saindo da Bélgica e passando por Islândia, Escócia, Canadá etc. Parando em aeroportos desertos repletos de corpos em busca de combústivel e suprimentos, na esperança de achar algum abrigo subterrâneo suficientemente profundo.

A empreitada seria evidentemente impossível próxima da linha equatorial, onde a velocidade linear da rotação terrestre é de mais de 1.600 km/h, muito acima da velocidade máxima de um boeing. Mas perfeitamente possível quanto mais próximo dos pólos.

A premissa, improvável mas não absurda, acerta até mesmo nesse fato de radiações gama serem capazes de penetrar por vastas barreiras, e que um abrigo subterrâneo qualquer realmente não seria capaz de detê-las.

Há problemas, claro, a começar por uma seleção questionável de personagens, embora perfeitamente plausível, e o modo como alguns acabam sendo abandonados na correria desenfreada frusta expectativas, embora seja perfeitamente compreensívell no contexto.

Temos também uma sucessão de atitudes imorais de vários personagens, compreensíveis a julgar pela situação, mas que frequentemente irritam, chegando ao ponto de por um momento não se torcer mais por ninguém, e com aquele clichê já bastante batido de inverter expectativas de modo a fazer você ver com melhores olhos personagens que no começo pareciam piores e vice versa.

A maioria delas, repito, é realista, mas algumas não podem ser deixadas em aberto. O modo como, ao final, uma das personagens causa, mesmo sem querer, a morte de outro é imperdoável! Espero que isso seja retomado numa eventual segunda temporada.

Também incomoda um pouco a fotografia o tempo todo noturna, por motivos óbvios e excelentes, claro, só aliviada nos flashbacks que exploram, poquíssimo, alguns dos personagens. Por sorte as imagens de interiores iluminados são bem claras, mas penso que os produtores deixaram escapar um fato que só enriqueceria e embelezaria mais a série.

Num evento como esse, que pressupõe explosões solares anormalmente intensas, teríamos seguramente as maiores e mais luminosas auroras polares já vistas! Faria todo o sentido que os céus estivessem frequentemente iluminados por impressionantes espetáculos típicos das auroras boreais, indo até mesmo mais longe dos círculos polares onde normalmente se delimitam.

Assim poderia ser compensado a monotonia da fotografia e emebelezado cenas de modo não apenas plausível e perfeitamente consistente com a premissa, mas penso que até inevitável. Se há alguma crítica contra a verossimilhança da premissa, seria justamente essa, além do fato de que o tal evento não poderia durar muito tempo.

Enfim, INTO THE NIGHT merece ser vista, ser bem avaliada e ter uma segunda temporada.

13 de Maio - 20:18

Em 28 de Abril publiquei uma reflexão sobre o real motivo da atitude bizarra de Bolsonaro em esconder seus exames para COVID-19, gerando 3 possibilidades.

A terceira está eliminada, pois os exames não permitem inferir outras questões a respeito da saúde do presdente. Restam duas, das quais uma tem que ser atualizada, que é o fato dele estar sim infectado e os exames terem sido fraudados. Afinal, além de constarem nomes falsos, e outro não ter identificação alguma, ainda temos aqueles dois positivos "secretos" no Hospital das Forças Armadas, e certos "atos falhos" cometidos por ele e seus associados que só fazem sentido caso ele estivesse infectado.

Mas é justo sobre a outra possibilidade que levantei, e que permanece como única caso aceitemos os resultados como verdadeiros, que devemos nos atentar.

PRA QUÊ deixar acontecer essa celeuma toda se os exames resultaram em "Não detectado"? Por que não encerrou o assunto no primeiro dia simplesmente mostrando algo que não implica em qualquer tipo de constrangimento?

A pergunta é retórica, pois sabemos que Bolsonaro é um "showman" que subsiste à base de trollagens, mitadas e fanfarronices. É bem a cara dele provocar deliberadamente uma "cena" que se desenrola virando uma novela ocupando tempo da imprensa, preocupando a sociedade e gastando dinheiro público à toa, como se não houvesse mais o que fazer. A irresponsabilidade canalha de quem jamais foi capaz de compreender o que significa ser um líder, aliás, sequer um chefe de quadrilha.

Mas isso seria apenas um de seus inúmeros crimes, quer comuns quer de responsabilidade, desde que desgraçadamente passou a ocupar o cargo político máximo.

De qualquer modo, a polêmica está longe de se encerrar, pois só mesmo bolsomínion pode achar que dois testes com pseudônimos e um sem identificação alguma, justo o que mais foi escondido, permitiriam liquidar o assunto.

Na melhor das hipóteses, temos um falastrão histriônico que "brinca" no cargo enquanto se exime de qualquer função útil no enfrentamento da pior crise de saúde da história recente brasileira e mundial. Na pior, alguém que serviu deliberadamente de vetor de disseminação da doença para infectar o máximo possível o próprio povo.

Jair Bolsonaro TEM QUE SER DEPOSTO! E qualquer tipo de apoio a ele é insanidade pérfida e desprezível.

13 de Maio - 16:16

Afinal, invés de "ET de Varginha", é muito melhor ficar conhecido como o "ET de Pau Grande!"

Autoridades negam queda de OVNI em Pau Grande,
no Rio de Janeiro; caso viraliza

12 de Maio - 17:51

Problematizações gatais.


12 de Maio - 12:28

Excelente texto de José Geraldo Gouvêa, mas creio que posso sintetizar algo que passou ao largo da análise, que é o simples fato de que 99% da humanidade que já existiu neste mundo, estima-se em mais de 100 bilhões, sempre viveu sob regimes não democráticos: clãs, reinados, impérios, ditaduras... E na verdade a anomalia é justo essa "democracia liberal" em que vivemos, que no fundo jamais nos convenceu.

POR QUE SONHAMOS COM DITADORES BENEVOLENTES?

Viver numa democracia, ao menos como a temos, é certamente preferível a viver sob a tirania de um inimigo, mas é também totalmente preterível a viver sob a tirania de um ídolo que amamos. Ou seja, se apoiamos totalmente o governante, queremos mais é que ele tenha o máximo de poder, pois afinal fará o que achamos certo e necessário, e não nos interessam obstáculos que o impeçam de implementar esses desejos. Mas se repudiamos o governante, obviamente preferimos vê-lo o máximo possível esvaziado de poder.

Veja só, não é simples questão de gostarmos da tirania em si. Não é dela que gostamos, e sim de gostar do herói bom e sábio, cujas qualidades sejam preferencialmente atestadas por instância sobre humana nos isentando de arcarmos com a responsabilidade de construí-las.

A ficção mitômana captura esse desejo essencial. Queremos reis! Queremos grandes heróis! Queremos ser guiados por sábios infalíveis e virtuosos tal qual ditosas crianças que possuem pais excelentes gostariam de jamais crescer e ter que sair do paraíso.

Pra piorar, nem sequer temos a alternativa de uma democracia no melhor sentido da palavra, sabemos perfeitamente que nossa democracia liberal é uma fraude! Nós a odiamos apesar da hipocrisia de sua bajulação, expressando essa repulsa sob os mais diversos rótulos, quer da corrupção, da desigualdade, da falta de liberdade, da burocracia etc. Intuitivamente, a grande diferença entre ela e a não-democracia, é que na última em geral sabemos exatamente quem é o governante e não precisamos nos dividir numa guerra interna perpétua para decidir quem terá a prerrogativa da próxima fraude eleitoral.

Ao passo que na nossa realidade, somos governados por plutocratas invisíveis e não temos disposição para desvendar os infindáveis véus de mentira e manipulação que produzem a ilusão comodista de que podemos escolher o fantoche da vez. E sabemos que somente um herói iluminado poderia nos salvar.

Um dia, um candidato a herói surge, e jogaremos alegremente a democracia no lixo pela esperança do bom tirano, por vezes com resultados ótimos mas efêmeros, medíocres ou catastróficos, nos levando a desejar novamente a democracia como um mal menor.

12 de Maio - 11:10

Só mesmo o bolsonarismo para conseguir descer a um patamar de desgraça tão abjeta que obriga até ferrenhos adversários a se unirem em prol de um mínimo de sanidade.

A reconstrução da política externa brasileira

Assinam o artigo: FHC, Aloysio Nunes, Celso Amorim, Celso Lafer, Francisco Rezek e José Serra (antecessores do desgramado do Ernesto Araújo), Rubens Ricupero (ex ministro da Fazenda) e Hussein Kalout (ex-secretário especial de Assuntos Estratégicos da Presidência do Governo Temer).

Até o pulha do Serra é melhor que o energúmeno que Olavo de Carvalho colocou lá.

Hoje agradeço não ter passado num concurso de Oficial de Chancelaria que fiz há mais de uma década atrás. Pois se eu estivesse aqui no Brasil correria o risco de ira lá "abater o animal".

Aliás, já falo disso há mais de um ano. 100 Dias de Noite

Aí me vem o puto do Mourão e me diz que é esse artigo que está contrangendo o Brasil no exterior!

11 de Maio

Ser bolsominion é...

...ser um calhorda desprezivel!

10 de Maio - 11:23

Em 19 de Abril publiquei uma lista de países ordenados pelo número de mortes por COVID-19 em relação a população, que mostravam que o Brasil ainda era um caso bem menos grave que a média.

Na época, tínhamos 11 mortes por milhão de habitantes, ficando em 34° lugar na lista e abaixo da média mundial, que se não me engano estava por volta de 20. Só considero países com mais de um milhão de habitantes. Dados do Worldmeters.

Hoje, segue a lista atualizada.

01. Bélgica 747
02. Espanha 569
03. Itália 503
04. Reino Unido 465
05. França 403
06. Suécia 319
07. Holanda 317
08. Irlanda 293
09. EUA 242
10. Suíça 211

11. Canadá 124
12. Portugal 111
13. Equador 97
14. Dinamarca 91
15. Alemanha 90
16. Irã 79
17. Áustria 69
18. Peru 55
19. Panamá 55
20. Brasil 50

Subimos 14 posições no lastimável "ranking", estando agora acima da média mundial que é de 36.1. E se conferirmos o print, que no caso está ordenado PELO NÚMERO ABSOLUTO DE MORTES, notaremos que não há razão para churrasco otimismo.

Estamos em 6° lugar e somos, do Top 10, o que menos faz testes, e em casos críticos só perdemos para os EUA. Não há como negar, vamos subir muito na lista de mortes proporcionais à população. Será uma sorte não entrarmos também no Top 10.

Não creio que o caso será tão grave quanto o da Bélgica, que tem uma morte para cada cerca de 1.300 habitantes, e de certo ainda aumentará um pouco. É definitivamente a maior causa mortis de todo o país superando também o pior índice de homicídios do mundo.

No Brasil, ainda estamos com uma morte para cada cerca de 20 mil habitantes. Mas é certo que nossas fatalidades ainda irão mais que dobrar. Teremos no mínimo, com muito otimismo, 22 mil mortes, resultando em uma para cada 10 mil habitantes. E repito, SENDO MUITO OTIMISTA!

Ainda que haja pouca razão para tal.

O principal motivo? Falhamos nas medidas de contenção, que deveriam ter sido mais rígidas. E SIM! O PRINCIPAL CULPADO DISSO É O CALHORDA GENOCIDA QUE OCUPA A PRESIDÊNCIA!

10 de Maio - 10:10

Tô nem entendendo essa celeuma toda em cima da Regina Duarte. Esperavam o quê? Esqueceram que desde 2001 ela tornou público seu escancarado viés político ideológico? Esqueceram do antológico "TENHO MEDO!" que foi infinitamente zoado pela então blogosfera e correntes de e-mail antes do advento das redes sociais?

Regina Duarte, em favor de José Serra, tentou disseminar "pânico na TV" com a má e velha paranóia anticomunista disfarçada, no caso de que Lula destruiria a economia e traria tempos trevosos ao país. A não ser na cabeça de patifes descerebrados que não são bem vindos aqui, ocorreu o exato contrário. Mas a era de ouro política e econômica que foi o Governo Lula jamais motivou em Regina qualquer reconsideração de suas crenças.

Ela participou do esquecido Movimento CANSEI, um vexame tão grande que certamente os integrantes, João Dória incluso, se esforçam para fazer sumir da memória histórica. Até o verbete da wikipedia é modesto a esse respeito, mas EU BACKUPEEI na íntegra no meu site o extinto blog "Tô Cansadinho", que fez a melhor compilação das pataquadas do movimento, e você pode conferir AQUI.

Regina Duarte era uma das "musas" do movimento, ao lado das demais globistas Hebe Camargo e Ana Maria Braga, e também Ivete Sangalo, que também trazia seu irmão, Jesus Sangalo, um empresário, para integrar o movimento, que contava até mesmo com o apoio do hoje regenerado Reinaldo Azevedo.

O movimento basicamente explorou duas tragédias aéreas consecutivas tentando politizá-las em desrespeito flagrante às próprias famílias das vítimas, e promoveu paseatas e agitações que tinham a cara de pau de se dizer apartidárias e não ideológicas.

Não durou muito. Um dos financiadores principais do movimento, Paulo Zottolo, presidente da Philips do Brasil, cometeu uma das mais históricas gafes ao fazer uma piada de péssimo gosto contra o estado do Piauí que lhe rendeu o título oficial de persona non grata estadual. Isso, somado à gafes e constrangimentos anteriores, terminou sendo a lápide do movimento.

Ninguém com um mínimo de conhecimento ficou surpreso que Regina Duarte fosse apoiadora de Bolsonaro. Talvez surpreenda que tenha sido suficientemente estúpida para aceitar se integrar a ele depois que o barco já estar afundado há muito tempo, passando a tentar operar no modo submarino. Não nos esqueçamos, entrou para substituir o fracassado Goebbels wannabe Roberto Alvim, em sua inesquecível atuação teatral que analisei em vídeo.

De gente assim, você esperaria sensatez? Decência? Dignidade? Sensibilidade artística?

Eu poderia dizer mais... mas, ah... Cansei!

9 de Maio

Sem Querendo ser chato, eu disse, 17 dias antes de se consumar, que apostava que Sérgio Moro seria o maior dos traidores de Bolsonaro, aos 4:36 / -3:12 do vídeo publicado em 7 de Abril , no qual relatei a conclusão de que Bolsonaro enlouqueceu.

Mas bem antes ainda, 17 de março de 2019, eu já havia aventado isso como possibilidade, ao dizer "E quem tem vazado os dados da COAF justamente após Sérgio Moro ter assumido seu controle? Não se esqueçam que Moro É TUCANO até a medula! Num confronto mais acirrado entre as máfias midiáticas e o clãzinho carioca, não pensará duas vezes e derrubará o governo por dentro em beneficio de seus colegas maçons."

E não só isso, eu discori longamente, em 31/12/18, que 2019 seria um ano muito ruim, principalmente em termos econômicos. Cansei de dizer que Bolsonaro era sim corrupto, mas que isso seria irrelevante para seu eleitorado, e que nada faria de efetivo contra a Neoesquerda, num mesmo texto, além de outros, onde, por sinal, disse que a inflação iria cair.

E não há nada demais nisso. Além de alguma sorte, e de não ser um olavete idiota, é questão de prestar atenção aos fatos, o que também pressupõe, claro, não ser bolsonarista.

Também errei. Disse várias vezes que Mourão era o verdadeiro perigo, e talvez ainda seja, mas Bolsonaro tornou-se tão absolutamente hediondo que devo admitir que é melhor tirá-lo e dar o lugar ao vice. E é claro, jamais poderia prever a situação que vivemos agora.

E não, não vai ter golpe! Não em favor do mentecapto. Antes colocariam um general no lugar dele. E a situação não vai melhorar. O coronavírus deixará no mínimo 1 morto para cada 10 mil habitantes, provavelmente muito mais, e Bolsonaro jamais abrirá mão de sua demência, e tão pouco os seus apoiadores, sem um pingo de vergonha em continuar a falsificar a realidade a sua volta e continuarem errando em absolutamente tudo o que se meterem a falar.

8 de Maio

Só pra lembrar porque a cloroquina deixou de ser assunto até na boca do grande mentecapto. Maior estudo já feito com hidroxicloroquina mostra que a droga não traz benefício no tratamento da Covid-19 (Estudo original em Observational Study of Hydroxychloroquine in Hospitalized Patients with Covid-19)

(15/05) Corrigindo, TINHA DEIXADO de ser assunto. Foi só sair mais uma pesquisa atestando mais uma vez a falta de evidência da eficiência da cloroquina para o genocida ficar doidinho para enfiá-la goela abaixo do país.

Mas Bolsonaro não está sozinho nessa apesar de Trump ter pulado fora. Ele agora tem a companhia de ninguém menos que Nicolás Maduro. Cloroquina 'une' Bolsonaro e Maduro em meio à pandemia de coronavírus

7 de Maio - 18:49

Ser bolsominion é: crer que generais da ativa dariam um golpe militar para ficar sob o comando de um civil, ex-capitão deformado reformado, cuja carreira militar foi marcada por insubordinações e ainda notoriamente incapaz de liderar sequer uma quadrilha miliciana familiar.

7 de Maio - 18:13

Pedro Ribeiro
7 de Maio

Seria a última pessoa a politizar a morte de um ente querido, então o que vou comunicar abaixo não é propagandismo ideológico, a favor ou contra quem quer que seja, mas apenas o relato fiel daquilo que experienciei cuidando dos trâmites da morte por coronavírus da minha avó.

Primeiro, a postura inicial do médico que me recebeu para comunicar a morte era claramente defensiva. Podia ver em seus olhos o desespero de quem está no meio de um turbilhão infernal e que tem diariamente a angústia de comunicar a familiares o óbito de pessoas por uma doença que mal se conhece direito e para cujo tratamento, infelizmente, o poder público não dá o suporte devido.

Conforme foi percebendo que eu não o culpava de modo algum, mas, ao contrário, reconhecia o esforço da equipe médica, que fez o que pôde, o médico foi se abrindo, se desarmando e mandando a real. Dele ouvi a seguinte frase, letra por letra: "Senhor Pedro, de um total de cem por cento de pacientes suspeitos de covid aqui no hospital, eu digo para você que cinco por cento, só cinco por cento faz o exame de comprovação. Não há insumos, não há materiais, não há nada".

Prosseguiu o médico: "Para o senhor ter uma noção, há vezes em que o quantitativo de SUAB's [exames comprobatório de coronavírus] que recebemos para uma semana é dez! Isso mesmo... Para um hospital do tamanho desse aqui de Saracuruna [tratava-se do Adão Pereira Nunes, hospital de referência para toda a Baixada Fluminense], com a quantidade de pacientes que tem, os caras às vezes mandam dez exames, quer dizer, para dez pacientes, por uma semana inteira. [...] Na prática, quando a gente identifica o quadro clínico de covid, seja pelos sintomas, seja pela tomografia, já fazemos o isolamento e tomamos as medidas-padrão de cuidado por precaução, mas, prova definitiva mesmo, quase ninguém tem. Daí, se o sujeito morre, o obituário oficial fica como suspeito de covid e não covid, mesmo que a gente tenha certeza pessoal que o caso era do novo vírus"

Perguntei como aquilo ia para as estatísticas. Ele disse que aqui no Rio, pelo menos, a política governamental é notificar como morte por corona esses casos sem exame probatório, mas nos quais a equipe médica tem certeza moral da causa. "Felizmente, ao menos", disse. Mas acrescentou: "Mesmo assim, como a falta de exames é absurda e muita gente, ou se recupera velozmente ou então morre rápido demais, tanto num caso como no outro sem um quadro clínico muito bem definido," certamente o número de subnotificações é gigantesco.

Ou seja, com certeza absoluta, até porque o Rio é, junto a SP, o lugar onde há mais mobilização governamental, a quantidade de mortos e de infectados no país é MUITO maior do que os dados oficiais apresentados no governo e na mídia.

Por fim, o médico, já em desabafo, se mostrou bastante puto com a indiferença das pessoas para com o problema, enquanto ele e seus colegas se expõe, dia a dia, ao Apocalipse. "Ninguém está levando a sério... As pessoas ficam passeando na rua". E derrubou também o médico outro mito: "Senhor Pedro, antes da sua avó entrar em isolamento, quem estava ao lado dela era uma jovem, de 32 anos, saudável, sem comorbidades, que não fumava, etc. Ela também contraiu corona e morreu um dia antes da Dona Jurema"

É isso, amigos. Se cuidem e fiquem em casa o quanto puderem.

Não é alarmismo não. O colapso existe e já chegou.


7 de Maio - 14:34

Vivi para ver Ministro do STF ameaçar conduzir Generais para interrogatório "debaixo de vara"!

7 de Maio - 10:47

Hoje, 7 de Maio, é o DIA DO SILÊNCIO. Eu nunca tinha ouvido falar, mas acho a ideia excelente. Com o objetivo de chamar atenção para o problema da poluição sonora, essa data cuja origem ainda nem esclareci deveria mesmo ser amplamente celebrada.

Moro num local onde tenho o privilégio de, regularmente, experimentar silêncios arrebatadores. Em geral, na madrugada. não é raro ficar no quintal, deitado numa cadeira de praia, por vezes sob a Lua Cheia, às 2 ou 3 da manhã, e testemunhar algo como se uma divindade baixasse e a tudo calasse.

Nada se houve. Por motivos misteriores os cães decidem se aquietar, os gatos emudecem, os insetos parecem inexistir. O ar para, tornando ausente até o farfalhar das folhas, e todos os vizinhos parecem tão quietos quanto eu.

É UM SILÊNCIO INACREDITÁVEL! As vezes testemunhado dentro de casa também. Como se de repente você tivesse ficado surdo, ao menos até que comece a ouvir o zumbido do cérebro, caso os movimentos peristálticos colaborem, e até as batidas do coração.

Você já ouviu, sem instumento algum, a batida do próprio coração.

Após uma delonga, chega a ser até um alívio ouvir um carro ou um avião distante. E não, não moro em área rural, até porque mais próximo da mata, não existe esse tipo de silêncio, pelo contrário. O que ocorre lá em casa é um exótico meio termo entre construções em terrenos grandes, com amplos jardins, suficientes para eliminar a típica bio sinfonia das matas de galeria ou das estepes do cerrado.

Um momento onde até mesmo as animais domésticos parecem obedecer um pacto contemplativo. Curiosamente, experimentei isso justamente nessa madrugada do Dia do Silêncio.

Conjugado ao fato de também ser o melhor local que conheço para contemplar o luar, a oportunidade de experimentar esse silêncio é um dos motivos pelo qual mudar do endereço que conheço há 32 anos é algo que está muito distante em qualquer escala atual de possibilidades.

7 de Maio - 3:44

Se algo cruza os céus e não se sabe se é um pássaro, um avião, ou o super homem, será um Objeto Voador Não Identificado. Podendo também ser balões, meteoros, aviões de espionagem, drones, aeronaves clandestinas transportando drogas, mísseis, projetos secretos ou qualquer coisa cuja comunicação falhe ou que se recuse a se identificar.

De OVNIs para naves extraterrestres existe uma distância... astronômica.

5 de Maio

TALES FROM THE LOOP, disponível na Amazon Prime ou num torrent perto de você, pode vagamente lembrar a excelente série alemã Dark*, por envolver uma cidade pequena, e como o nome sugere, distorções temporais, e sobretudo por girar em torno de questões familiares, embora seja focada numa família só, e por ser, por enquanto, bem mais simples, porém, mais misteriosa.

Trata-se de série de Ficção Científica essencialmente dramática. Com a exceção de uma breve perseguição numa floresta insular no sétimo episódio, e de uma também breve luta de robôs no último, não espere ver qualquer ação. No entanto, prende a atenção até mesmo daqueles que prefeririam ver algo mais agitado, mesmo sem nada prometer nesse sentido.

A excelente trilha sonora, que só peca por ser excessivamente parecida com a também excelente trilha de The Trumam Show, especialmente as faixas 4 e 14**, dita o tom da série de forma muito melhor do que Dark, que associada ao título, parece querer o tempo todo enganar o espectador fazendo-o crer que se está diante de clima de terror.

Mas talvez algo que torne Tales From The Loop mais interessante é ser um meio termo entre o modelo de série de episódios isolados ao estilo anos 80, e as séries de amarração novelesca que predominam na atualidade. Pois se as conexões entre os episódios são evidentes, o foco muda grandemente de um para outro. Por exemplo, no primeiro está centrada numa menina que logo no começo perde sua mãe, sendo então ajudada pela família central da série, e no segundo foca num outro membro dessa mesma família que havia aparecido apenas como um figurante. E assim vai, mudando de foco ao ponto de se distanciar totalmente do tema inicial, mas aos poucos conectando-os sutilmente até ficar evidente a consistência estrutural.

Essa série familiar, que nesse sentido só perde para a antológica Once Upon A Time*** (a meu ver, a série mais fortemente pró-família que já vi, embora possa não parecer a princípio), de seus oito episódios só tem dois destoantes do desenvolvimento do tema principal. O terceiro, nem tanto, que foca num romance paralelo isolado de uma das personagens secundárias conectadas ao filho mais velho da família central, e o sexto, esse bem mais dissonante, que apresenta a obrigatória cota "progressista", não tanto por ser culturalmente progressista, mas por ser forçada, onde o roteirista precisou incluir uma breve cena de amizade com a família principal apenas para não deixá-la completamente desconectada.

Aí nota-se que parece haver mesmo uma obrigação contratual, onde os autores vão desenvolvendo espontaneamente a estória até que alguém finalmente os lembre que tem que inserir a cota gay, parecendo fazê-la a contragosto e com certa falta de criatividade. Pois se ela fosse inserida logo num dos personagens centrais, no caso Jakob, já no segundo episódio, não só seria muito mais harmônica como até daria um sentido mais profundo e consistente a toda a trama.

Para piorar, parece até ser por vingança que os autores decidiram cumprir a cota gay e a negra ao mesmo tempo, deixando-as duplamente destoantes, desenvolvendo-as totalmente num único episódio que pode ser sem qualquer prejuízo ignorado, mesmo conectado vagamente ao episódio 3, que também cumpre uma cota de minorias.

Apesar disso, isoladamente os dois episódios funcionam muito bem, e acabam comovendo pelos seus dramas pessoas misturados a possibilidades abertas somente pela Ficção Científica. Apenas destoam da trama principal até mesmo na ousadia das tecnologias apresentadas.

Nesse ponto, a série apresenta aquele tipo de estética essencialmente contraditória, mas fascinante, parecendo ambientada nos anos 70 ou 80, onde fica claro não existir telefonia celular nem telas planas, mas ao mesmo tempo mostrando tecnologias robóticas além da nossa realidade. E a concepção artística e o clima da ambientação transforma essa estranheza num charme, com estruturas misteriosas por toda parte, robôs abandonados, maquinários estranhos e toda uma retratação que se baseia originalmente num mero livro de ilustrações do artista sueco Simon Stålenhag. Nesse sentido, me identifico muito com a ideia principal, que é observar uma bela concepção artística e, somente com base, nela, "viajar" ao ponto de desenvolver uma estória.

A série termina sendo menos ousada que as ilustrações do autor, que demandariam tecnologias e situações muito mais complexas, mas ainda assim sua estética é suficientemente intrigante para capturar tanto quanto os dramas que vão sendo introduzidos.

Ao final do oitavo e último episódio, temos o fechamento de um arco onde embora muitas coisas fiquem explicadas, restam mistérios suficientes para despertar desejo por uma segunda temporada. Porém, o mistério inaugural, desenvolvido logo nos primeiros momentos do primeiro episódio, permanece em aberto. O que ocorreu com a mãe da menina que pareceu voluntariamente se ausentar em prol de um projeto científico pessoal?

Foi deste momento que já me lembrei de Once Upon A Time, que sob várias camadas de contos de fada, basicamente desenvolve contos de redenção e relacionamento familiar, onde até mesmo a rainha má da Branca de Neve termina redimida, junto com Malévola, Capitão Gancho, e vários outros seres fantásticos e mitológicos, e onde o único pecado imperdoável é abandonar os filhos.

Por fim, o "Loop" também ainda permanece um mistério. Sabe-se que foi construído todo um massivo projeto científico em torno dele, e que grande parte da própria economia da cidade gira em torno desse projeto, sendo desde a infância objeto de preocupação dos estudantes se terão notas suficientemente boas para no futuro trabalhar no Loop.

Ainda não se sabe se haverá uma segunda temporada, mas mesmo que se encerre aqui, apesar das pontas soltas, a série termina sendo satisfatória, merecendo ser vista e até revista na íntegra, mesmo que alguns episódios funcionem bem isoladamente.

4 de Maio - 21:55

Apesar de recentemente ter havido notória redução da criminalidade, o caso ocorrido em Ourinhos - SP não parece ter paralelo ao menos na história recente. Uma milícia de dezenas de homens com armamento pesado praticamente sitiar uma cidade de 115 mil habitantes por uma noite inteira, neutralizando por completo qualquer reação policial, roubando dezenas de milhões de vários bancos e escapando completamente ilesa, parece premissa de filme de ação.

Há tempos alguns tem previsto que o Brasil caminhe para se tornar um narco estado, como já tem ocorrido em grande parte do México ou da Colômbia, apesar que neste último caso, após assumir um governo submisso aos EUA, nunca mais se tocou no assunto e até as FARC, que continuam lá, passaram a se ignoradas.

Mas se ter corruptos no governo é, além de tudo mais, um exemplo que inspira a corrupção generalizada, então, havendo milicianos no poder, seria de se esperar o quê?

4 de Maio - 20:30


4 de Maio - 08:06

Ser bolsominion é:
- Culpar o carnaval por disseminar o vírus;
- Continuar apoiando aglomerações.

3 de Maio - 20:41

Passamos a barreira dos 7 mil mortos, e logo ultrapassaremos a Bélgica, passando a liderança inconteste do "terceiro grupo" de infectados, sendo o primeiro, os EUA, e o segundo os 4 países europeus quase empatados. O print do gráfico do Worldmeters está ordenado pelo número de mortes, que acho mais confiável que de casos, considerando menor incidência de subnotificação.

A boa notícia é que sendo o Brasil só não mais populoso que os EUA, nosso índice de mortes por milhão de habitantes é muito abaixo dos demais, 33, sendo que o segundo mais baixo, dos EUA, 207. Mas a má notícia é que nosso índice de crescimento é muito alto, só perdendo pros EUA e hoje pro Reino Unido, pois em dias anteriores, com média de 400 novas mortes, estávamos também acima. Lembrando que estamos no domingo e os índices nos dias úteis são maiores devido a maior rapidez dos registros.

Observe também o índice de casos críticos, e o de testes, tanto relativo quanto absoluto, para notar que nossa situação é extremamente preocupante.

Isso quer dizer que temos sim potencial para ficar em situação pior que a do segundo grupo, ainda mais quando comparamos as curvas de evolução de mortes. Eu esperava que a situação aqui fosse ser melhor, mas nossas perspectivas não são boas. Átila Marino foi ainda mais certeiro do que eu esperava.

Quando nos comparamos com o restante da América do Sul, (o site permite várias configurações de visualização) a situação fica ainda mais alarmante. O Brasil tem mais ou menos a mesma população do restante do continente sul, mas tem quase o dobro do número de mortes, mesmo sendo um país mais desenvolvido e com um sistema de saúde melhor que a maioria de nossos vizinhos. Quando comparados justo aos outros dois mais populosos, Colômbia e Argentina, a situação se torna vergonhosa.

A maior explicação para isso é auto evidente, e só mesmo bolsominion carece de capacidade mental para vê-la de imediato.

3 de Maio - 1:30

Sendo Sérgio Moro o "Judas Iscariotes", e sendo óbvio que Jair é o próprio "Messias", defendo que devemos conceder-lhe um voto de fé. Infrinjamos-lhe uma via crúxis e o crucifiquemos entre ladrões, que é o que não falta no Centrão, e soltemos Adélio Bispo para que reprise o infame papel do centurião Longino. Esperemos por três dias.

2 de Maio - 16:02

Enquanto rola o depoimento...


2 de Maio - 11:17

Agora que as fontes cabíveis se pronunciaram oficialmente encerrando as especulações sobre a morte de Kim Jong-un, você, que porventura tenha acreditado na hoax e até vibrado de empolgação com possíveis mudança no regime da RPDC, tem as seguintes opções:

a) aceitar que foi a angústia do isolamento social que lhe levou a dar atenção demais a qualquer mudança de assunto;

b) admitir que foi feito de otário mesmo e ter orgulho disto, uma vez que já foi feito de otário pela mídia a vida inteira e continuará sendo sempre que o assunto for RPDC;

c) não acreditar na divulgação oficial não contestada por qualquer governo do mundo e continuar acreditando da fofoca baseada em fontes anônimas, tomando a aparição do líder norte coreano como "fake news" nem que seja na base de um andróide, realidade aumentada, ressurreição, necromancia ou qualquer outra coisa. (Esse opção é obrigatória para bolsonaristas. Ou você não sabia que a RPDC tem exército de clones?


1 de Maio

Quando eu era pequeno, ante ao uso do emblemático "E daí?", alguma criança esperta replicava com "Tira as calça e mija aí!" o que era, na cabeça de qualquer guri que se preze, um arraso. Mas eu fui ainda mais longe e criei a matadora contra resposta "E você lambe o xixi!" o que me garantiu grandes vitórias poéticas infantis.

Fico pensando que se estivesse lá na entrada do Palácio do Planalto (não é longe daqui de casa) no tal fatídico momento e tivesse assim replicado ao Presidente, talvez ele até entrasse o jogo. (Há várias outras contra respostas concebíveis mantendo a devida rima.)

Eclodiu entre os bolsonaristas, frenéticos na defesa intransigente de seu mito, acusações da parcialidade da mídia com relação a coisas muito mais simpáticas e razoáveis que ele disse antes ou depois, enquanto a "extrema mídia" focou no "e daí".

É verdade, claro. Sempre foi assim. A mídia seleciona e divulga o que convém, assim como inúmeras pessoas fazem e especialmente os bolsonaristas, que são capazes de ignorar totalmente uma década de perseguição midiática contra o PT, Dilma, Lula e sua família, e ter a desfaçatez de dizer que nunca se perseguiu tanto um presidente! (Chegam ao ponto de inventarem textos falsamente atribuídos a globistas.) Com a diferença que os outros presidentes sequer retaliavam e nunca fizeram declarações de hostilidade aberta à mídia.

Só que tudo o que Bolsonaro costuma dizer de aparentemente sensato soa artificial, ensaiado, escrito por acessores e recomendado por aliados. Quando se joga na frente dele um dado inesperado, aí a espontaneidade aflora, espontaneidade esta que é uma das responsáveis pelo seu sucesso. Esse Bolsonaro que mede palavras é um bolsonaro domado, na coleira, por medo que seus aliados tem de que ele acelere ainda mais sua descida ao próximo recorde de profundidade na infra política.

O "não sou coveiro" ou "é só uma gripezinha" são muito mais autênticos, e em nome dessa autenticidade os bolsonaristas deveriam abraçar e defender o "E daí?", afinal esse é seu modo de operação padrão. Foi essencialmente a mesma coisa após o incêndio da Biblioteca Nacional, com total desconsideração ao patrimônio cultural, bem como com os incêndios na Amazônia, em desprezo pelo patrimônio ambiental e pela imagem do país. Mas quando atearam fogo numa Estátua da Liberdade da Havan, aí sim, tivemos uma pronta solidariedade e nota de condolência ao "coitadinho" do bilionário. (Pra ficar nums pouquíssimos e benevolentes exemplos.)

É incrível estarem até hoje defendendo o elemento, anos-luz além da mais residual e ínfima migalha de bom senso, e mesmo assim não o aceitarem como ele é. Como se ele fosse outra coisa além dessa figura que inspira o desprezo absoluto pela realidade e o afogamento completo no universo das fraudes, hoaxes, fake news e toda sorte de perversão disposta a negar o real e edificar delírios em cima de ilusões sobre miragens fundamentadas em mitos.

A perspectiva MÍNIMA é de 13 mil mortos pelo COVID-19 antes do segundo semestre. Se Nelson Teich estiver certo, pode quintuplicar esse número mesmo que passemos pelo pico antes do meio do ano. Se chegarmos a mil mortes diárias, se tornaria A MAIOR causa de mortes, superando AVCs, infartos, acidentes e assassinatos.

E daí? Como agirão os bolsonaristas? Da mesmíssima forma! Negando todos os fatos e inventando mentiras cada vez mais calhordas, pois tudo não passa de conspiração perpetrada pela totalidade do mundo contra o ungido em sua missão sagrada de libertar o Brasil do "comunismo", o que pressupõe matar o máximo de pessoas possível.

E daí? Tira a faixa e sai, Jair!

Abril de 2020









































2020

Abril

Março

Fevereiro

Janeiro

2019

Dezembro

Novembro

Outubro

Setembro

Agosto

Julho

Junho

Maio

Abril

Março

Fevereiro

Janeiro

2018

Dezembro

Novembro

Outubro

Setembro

Agosto

Julho

Junho

Maio

Abril

Março

Fevereiro

Janeiro

2017

Dezembro

Novembro

Outubro

Setembro

Agosto

Julho

Junho

Maio

Abril

Março

Fevereiro

Janeiro

2016

Dezembro

Novembro

Outubro

Setembro

Agosto

Julho

Junho

Maio

Abril

Março

Fevereiro

Janeiro

2015

Dezembro

Novembro

Outubro

Setembro

Agosto

Julho

Junho

Maio

Abril

Março

Fevereiro

Janeiro

2014

Dezembro

Novembro

Outubro

Setembro

Agosto

Julho

Junho

Maio

Abril

Março

Fevereiro

Janeiro

2013

Dezembro

Novembro

Outubro

Setembro

Agosto

Julho

Março à Junho

Fevereiro

Janeiro

2012

Dezembro

Novembro

Outubro

Setembro

Agosto

Julho

Junho

Maio

Abril

Março

Fevereiro

Janeiro

2011

Novembro e Dezembro

Setembro e Outubro

Julho e Agosto

Abril a Junho

Março

Fevereiro

Janeiro

2010

Dezembro

Novembro

Outubro

Setembro

Agosto

Julho

Junho

Maio

Abril

Janeiro a Março

2009

Dezembro

Novembro

Outubro

Setembro

Agosto

Julho

Junho

Maio

Março e Abril

Fevereiro

Janeiro

2008

Novembro e Dezembro

Outubro

Setembro

Agosto

Julho

Junho

Maio

Abril

Março

Janeiro e Fevereiro

2007

Dezembro

Novembro

Setembro e Outubro

Julho e Agosto

Maio e Junho

Março e Abril

Janeiro e Fevereiro

2006

Outubro, Novembro e Dezembro

Setembro

Agosto

Julho

Maio e Junho

Abril

Março

Janeiro e Fevereiro

2005

Novembro e Dezembro

Setembro e Outubro

Junho a Agosto

Maio

Março e Abril

Fevereiro

Janeiro

2004

Dezembro

Novembro

Outubro

Setembro

Agosto