O CÓDIGO DAN BROWN
OBS: Atualizado em 31/07/16 para incluir o livro INFERNO

Tendo concluído a leitura de O Símbolo Perdido, penúltimo trabalho do autor de O Código Da Vinci, não resisti a fazer uma análise comparativa dos 5 6 livros deste bem sucedido escritor, confirmando minhas suspeitas de que todos possuem a mesmíssima estrutura.

Embora sejam excelentes livros, é inegável que num certo sentido são praticamente iguais, visto que todos têm ação em "tempo real", isto é, sem intervalos de horas, dias ou anos entre os capítulos, de modo que a estória se desenvolve sempre em cerca de 24 horas, numa correria desenfreada. Todos envolvem um casal de protagonistas lutando contra o tempo e fugindo de assassinos e ou autoridades para desvendar uma série de enigmas e conseguir obter informações para evitar alguma trama perversa, em geral na forma de conspiração.

Todos são romances altamente informativos, repletos de conteúdos científicos, intelectuais, culturais, históricos e etc, que servem não apenas de pano de fundo para a trama mas também como elementos a serem considerados como parte dos mistérios a resolver. E os personagens principais são sempre pessoas de alto gabarito intelectual, erudição e conhecimentos especializados, e que, em geral, também possuem dotes físicos arrojados. Como o fato de Robert Langdon ser um exímio e saudável nadador, ou David Becker um ótimo jogador de Squash, ou Vittoria Vetra ser uma ioque.

Todos também envolvem tramas complexas com vilões ocultos que ao final sempre se revelam como indivíduos supostamente amigos dos protagonistas, resultando em grande choque e decepção pessoal, ao mesmo tempo que personagens que reuniam suspeitas ao longo do livro, em geral sendo antipáticos, acabam se revelando verdadeiros aliados ou vítimas.

Em síntese, uma fórmula que até agora tem se mostrado infalível, ainda que previsível. Um código para o sucesso. Segue então um quadro comparativo, que não pode evitar spoilers. Portanto, se você ainda não conhece algum deles, e pretende ainda conhecer, e não gosta de saber de antemão sobre as surpresas que o aguardam, melhor não visualizar os trechos ocultos.


Digital Fortress
1998

Angels & Demons
2000

Deception Point
2001

The Da Vinci Code
2003

The Lost Symbol
2009

Inferno
2013
AMBIENTAÇÃO
Espanha / Base da NSA em Washington DC
Suiça, Roma, Vaticano
Ártico, Costa de Nova Jersey, Washington DC
Paris, Westminster, Londres, Escócia
Washington DC
Florença, Veneza, Instambul
Casal de Protagonistas Principais
Susan Fletcher
Criptóloga da NSA

David Becker
Professor universitário especialista em idiomas
Robert Langdon
Simbologista de Harvard

Vittoria Vetra
Cientista do CERN, Física e Bióloga
Rachel Sexton
Analista da NRO

Michael Tolland
Oceanógrafo e Divulgador Científico
Robert Langdon
Simbologista de Harvard

Sophie Neveu
Criptóloga e Criptógrafa Policial
Robert Langdon
Simbologista de Harvard

Katherine Solomon
Cientista Noética
Robert Langdon
Simbologista de Harvard

Sienna Brooks
Médica e Super Dotada (QI 210)
Crime que dá início a trama
Ataque cardíaco suspeito do programador Ensei Tankado
O assassinato chocante e repleto de simbolismo do Padre e Físico Leonardo Vetra
Assassinato espetacular do geólogo e explorador Charles Borphy
O assassinato chocante e repleto de simbolismo do curador do Louvre Jacques Sauniere
O sequestro e mutilação do grão mestre Maçon Peter Solomon
O suicídio espetacular, sob perseguição, do biólogo e magnata Bertrand Zobrist
Os Assassinos
Hulohot
Mercenário português (surdo)
Hassassin
Descendente de um clã de guerreiros do médio oriente
Delta 3 Soldado da Delta Force que se destaca entre seus companheiros Delta 1 e 2
Silas
Monge da Opus Dei (albino e louco)
Mal'akh
Ocultista, mestre em disfarces, (totalmente tatuado)
Vayetha
agente solitária, e Christoph Bruder que lidera uma equipe de soldados
Pano de fundo cultural
Tecnologia da Informação, Espionagem, Computação, Invasão de Privacidade
História da Igreja Católica, Os Illuminatti, Iluminismo, História da Ciência, Simbologia
Oceanografia, Vida Extraterrestre, Espionagem, Astrofísica. Política, Eleições Presidenciais
Leonardo da Vinci, Arte Sacra, Cristianismo, História da Ciência, Criptografia, Simbologia
Maçonaria, Iluminismo, Fundação dos EUA, Simbologia, Arquitetura de Washington
O Inferno de Dante, Arte Renascentista, Peste Negra, Demografia, Transumanismo, Biologia e Epidemiologia
Instituições destacadas
NSA
Igreja Católica e Illuminatti
NASA e NRO
Priorado de Sião
Maçonaria
OMS e ECDC (Europen Center for Disease Control)
(Cuidado, Spoilers) Personagem que levanta suspeitas mas não é o antagonista (Selecione para ler)
O criptólogo hacker Greg Hale
O diretor do CERN Maximilian Kohler
O Presidente dos EUA Zachary Herney
O Detetive Bezu Fache
A chefe da CIA Inoue Sato
O Diretor do Consórcio, no começo, e Siena posteriormente.
(Cuidado, Spoilers) Os Verdadeiros Vilões (Selecione para ler)
Trevor Strathmore
vice-diretor da NSA, "amigo" e pretendente de Susan Flecther
Carlo Ventresca
o Camerlengo, que depois descobre ser filho do Papa que matou
William Pickering
o diretor do NRO, "amigo" de Rachel Sexton
Sir Leigh Teabing
o "amigo" de Robert Langdon que os ajuda a fugir da França
Zachary Solomon
filho supostamente morto de Peter Solomon
NENHUM! Apesar das manipulações, tudo não passa de um enorme mal entendido!
No Final...
Susan e David tem uma noite romântica
Langdon e Vittoria tem uma noite romântica
Rachel e Michael tem uma noite romântica
Nada de romance entre Langdon e Sophie
Nada de romance entre Langdon e Katherine
Sem romance entre Langdon e Siena, mas com um "clima" e uma possibilidade em aberto.

Algumas das diferenças também chamam a atenção. As aventuras de Robert Langdon são evidentemente mais similares entre si do que com as demais. Só elas abordam sociedades secretas. Também nota-se que os livros que mais fogem da estrutura comum são o primeiro e o último, como era de se esperar.

Fortaleza Digital é o único onde o casal de protagonistas já se conhecia e já tinha um relacionamento, e passam a estória inteira separados, em ambientes diferentes. E O Símbolo Perdido é o único que não tem uma morte inicial, e onde um único personagem exerce as funções de cabeça e braço da conspiração, sendo na verdade o único vilão. Notável também que os dois últimos não terminem com um romance, o que é prudente, para evitar que Robert Langdon fique com uma fama ao estilo 007.

De qualquer modo, o estilo do autor é previsível. Após conhecer alguns de seus livros, é difícil se surpreender, por exemplo, com a revelação da identidade do vilão, mas isso não impede boas surpresas, principalmente as de cunho intelectual.

E se ainda for ler um do Robert Langdon, um conselho. Prefira as edições ilustradas, como O Código Da Vinci - Roteiro Ilustrado ou ao menos leia-os em frente ao computador, pois você vai querer a toda a hora ver imagens das obras de arte descritas pelo autor.

Marcus Valerio XR
Original de 20 de Maio de 2010;
Texto alterado par incluir 'O Símbolo Perdido' em 2013;
Adicionado a coluna de Inferno em 31 de Julho de 2016.

ENSAIOS
O Código dá 20!