Primeiro Esboço de uma Filosofia do CAOS

Forças MASCULINA e FEMININA

Há 12 anos, antes deste site, produzi meu primeiro “esboço” de sistema filosófico, A Filosofia EXERIANA. Antes de cursar Filosofia na UnB, numa fase de notável ingenuidade intelectual.

Mesmo assim, após um Mestrado, muito estudo e acúmulo de produção filosófica, e sobretudo reflexão, fico feliz em ver que apesar da linguagem simplória, da inegável influência mística e da intersecção com Ficção Científica, a essência fundamental dessa antiga filosofia pouco se alterou, embora possa ser difícil percebê-lo no modo inexperiente e confuso que a apresentei, em especial os Primeiros Princípios.

Hoje, meu mais vasto projeto filosófico, futuro doutorado, se chama Filosofia do CAOS, e foi muito reconfortante perceber, após recentes e intensas novas descobertas, que ele vai ao encontro desse meu mais antigo sistema, fundindo quase todas as principais tendências. Uma Filosofia da Natureza, da Metafísica à Física, culminando numa antropologia e psicologia, abrangendo um viés “Feminista”, a nível “ontológico” e “teológico” (embora diferente do que normalmente se entende por esses conceitos entre aspas), tendo a ousadia de tentar abarcar ao máximo possível a realidade, ou a virtualidade. Algo praticamente inexistente entre os filósofos acadêmicos atuais.

Um projeto de longo prazo, sem previsão de encaminhamento para algum departamento, nem pretensão de ser esgotado em menos de uma década. Mesmo assim, até por empolgação, sinto necessário começar a registrar alguns de seus parâmetros, em especial os que estão envolvidos com questões de "Gênero" que têm me interessado atualmente, fazendo um resgate de um de meus primeiros interesses intelectuais, o Feminismo.

Antes, para esclarecer, lembro que "CAOS" possui duas conotações básicas. O mais comum é 'desordem', o oposto do COSMOS (ordem), muitas vezes usado em sentido pejorativo. Mas o sentido original é muito mais profundo. É a Potência Primordial, onde todas as possibilidades estão presentes, podendo vir a ser qualquer coisa. Na visão platônica, a mistura indefinida dos 4 elementos, na Física Moderna, o Vácuo Quântico, na Bíblia é representado pelas "Águas" (mah'-yim), que NÃO FORAM CRIADAS, sendo a proto matéria que a divindade usa para criar o mundo.

Na verdade, é impossível conceber a origem do universo, quer seja a nível mitológico, filosófico ou científico, sem apelar ao conceito de Caos.

Dito isso, apresso-me agora a delinear melhor um dos conceitos primordiais da Filosofia EXERIANA, presente largamente em minhas obras de Ficção Científica.

Força Masculina e Força Feminina

A tendência é reduzir todos os fenômenos do universo, tanto a nível físico quanto psicológico ou social, a uma interação de duas forças fundamentais, que organizo da seguinte forma.

Força
FEMININA
Força
MASCULINA
ATRAÇÃO
REPULSÃO
Síntese
Análise
Gravidade
Espaço / Tempo
União
Separação
Conservação
Alteração
etc...

Essa é a dinâmica norteadora de todos os processos naturais, uma interação entre essas duas forças, ou tendências, fundamentais, em proporções variadas. Atingindo a psicologia, essa dinâmica explica os comportamentos, tendo sempre como PRINCIPAL CUIDADO deixar claro que ambas estão presentes em qualquer ser humano, em graus de predominância variada. É verdade que homens e mulheres, respectivamente, tendem a possuir maior predominância de Masculinidade, e Feminilidade, nesse sentido de força psicológica, mas essa proporção é mutável, admite vastas exeções, e não tem relação necessária com preferência sexual.

Há homens psicologicamente femininos e vice versa, sem que isso implique em problema algum, sendo no entanto ideal que um ser humano atinja o perfeito equilíbrio entre tais forças, e não sendo isso possível, é desejável que complemente sua predominância se associando a pessoas de predominância oposta.

Há nítida similaridade com o conceito taoísta de Yin e Yang, cujas características fundamentais são descritas como Feminino e Masculino, Frio e Quente, Noite e Dia, Úmido e Seco. No entanto, aponto como a principal diferença que enquanto nessa tradição, e praticamente em todas, o Feminino é visto como de uma natureza passiva, nessa minha concepção ela é tão ativa quanto o Masculino.

Não faria o menor sentido uma "Força Passiva"!

Essa percepção errônea da feminilidade como associada a passividade deriva exatamente do fato de sua natureza atratora. Se a Terra parece parada, é porque atrai ATIVAMENTE os corpos em sua direção. Assim, a imagem tradicional do Taoísmo, o Tei-Gi, deve ser substituída...

...disto...
...para isto.

Ou seja, a força masculina orbita em torno da feminina, quando há o equilíbrio, quando a tendência a movimento e transformação do Masculino é mantido em equilíbrio pelo pólo de atração feminino.

Os planetas não orbitam o Sol porque o "acham" atraente, mas por que são fisicamente atraídos, só não sendo engolidos pelo mesmo por manterem um movimento orbital constante. A perda de tal movimento significaria sua absorção pela estrela, o aumento significaria se afastarem, podendo se perder no espaço, ou colidir com outros astros.

Analogia similar poderia ser inferida no modelo atômico.

Tal como o Tei-Gi, os aspectos complementares não poderiam SOB HIPÓTESE ALGUMA ser associados ao Bem ou Mal, como lamentável e frequentemente ignorantes no assunto costumam dizer. A única associação desse tipo seria em relação a Harmonia e Desarmonia entre os aspectos. Assim, o que consideramos como Mal seria apenas quando os aspectos estão desequilibrados.

Força Masculina em excesso destrói por movimento excessivo. Cancelando-se a Gravidade, o Universo se desagregaria. Cancelando as Forças Nucleares, os núcleos atômicos se desfariam.

Força Feminina em excesso destrói por falta de movimento. Hiper amplificando-se a Gravidade, o Universo colapsaria em Buracos Negros. Hiper amplificando-se as Forças Nucleares, toda luz e calor deixariam de existir.

Psicologicamente, um comportamento totalmente feminino seria paralisante, um comportamento totalmente masculino seria destrutivo. Todos os processos, sendo dinâmicos, exigem altercações entre fissão e fusão, separando coisas ou conceitos, e reunindo-os sob outras formas.

Para finalizar, alerto para alguns problemas de interpretação que têm sido cometidos atualmente tanto a nível de análise de comportamento individual quanto social.

A maioria das análises, até mesmo as mais inteligentes, frequentemente ainda estão presas a uma noção de que mulheres são totalmente femininas e os homens masculinos, ou predominantemente, mesmo quando os papéis mais tradicionais já se inverteram por completo e até mesmo os parâmetros biológicos já foram subvertidos culturalmente. Isso tem causado uma profusão de equívocos que só não resultam em danos diretos a nível interpessoal e de relacionamento por ser intuitivamente óbvia essa dinâmica, por outro lado, em níveis mais amplos, especialmente na análise social e no planejamento de políticas, tal sutileza tenda a ser inapreensível, podendo gerar efeitos nocivos a nível familiar, trabalhista ou mesmo de segurança pública.

Mas dado ao caráter mais abstrato e fundacionalista desse texto, não convém entrar em detalhes aqui. Lembrando sempre que falo em Forças Abstratas, por vezes explícitas, por vezes sutis, virtualmente onipresentes, e por isso mesmo reais.

Marcus Valerio XR

Esboçado em Agosto de 2011

Finalizado em 29 de Janeiro de 2012


Segundo Esboço de uma Filosofia do CAOS
CAOS ou "CAOSa"?
MONOGRAFIAS

Filosofia EXERIANA
ENSAIOS