PLANETA FANTASMA - Guia de Personagens
Para uma visualização ideal desta página, recomenda-se o Internet Explorer 7 ou superior, fonte média, sem zoom, e execução de mídia em Quicktime.
LISTA DE PERSONAGENS
e
IFORMAÇÕES ADICIONAIS

Cemilion
Antropônica Kluman

Cientista genérica, isto é, sem formação especializada, e sim generalizada, estava na Pastor-6 mais para acompanhar o irmão / marido, auxiliando-o em suas pesquisas. Fora atleta e praticante de artes marciais, tendo por algum tempo tentado uma carreira esportiva em paralelo com sua formação científica. Depois lecionou ciência até aceitar acompanhar Irig na exploração espacial. Antes da Pastor-6, serviram em duas frotas Klumans, um das quais estivera envolvida na descoberta do Aquário Espacial de sistema AL DEXON [59818-A101-2022] (uma estrutura artificial cristalina de cerca de 28kms de diâmetro que abriga uma completo ecossistema aquático, de autoria desconhecida). Sua morte foi assunto pouco divulgado, e evitado em KLUMA, para não acirrar ainda mais os ânimos contra SEILA. O que era facilitado pelo fato de seu esposo / irmão nunca ter comentado o fato. Mas alguns ativistas fizeram questão de registrar o ocorrido como um dos mais controversos atentados seilans contra klumans, destacando muito mais a seduçaõ e abandono de Irig que a própria morte de Cemilion.

Dafinaia Zelana Xuni
Antropônica Seilan

Seilan é uma Ginocracia e também uma Teocracia. A Religião dominante, Indissociável da ciência, da Filosofia e da Arte, opera em todos os níveis sociais. Uma Sacerdotisa-Mestra é um título conferido a feiticeiras que desenvolveram certo grau elevado de conhecimento e poder político, e que formam a nata da cidadania do planeta. Todo e qualquer cargo de liderança, comando ou qualquer importância é relegado a uma Sacerdotisa-Mestra. Há, no entanto, vários níveis hierárquicos entre eles. Dafinaia passou a maior parte da vida no espaço, visitando planetas distintos, em especial colônias ou ex colônias seilans, contribuindo para manter ou para recuperar espaços de influência. Embora não fosse especializada em combates espaciais ou mesmo planetários, foi enviada prontamente ao Sistema NOVITA por estar mais próxima que outras frotas seilans mais significativas. Por sorte, quando as demais frotas chegaram a situação já estava controlada, o que impediu os eventos mais temidos pelos Madre-Terrestres. Uma dessas frotas trazia capacidade, e autorização, para destruir por completo o Planeta Fantasma, o que provavelmente teria feito se este antes não tivesse desaparecido.

Dalmana
Antróide Sofistian

Chegando à Madre-Terra, de onde jamais saiu, Dalmana despertou enorme curiosidade e desconfiança, sendo vigiado de perto pelos órgãos de segurança. No entanto, jamais fez algo minimamente suspeito, assumindo um vida pacata e tão investida de comportamentos humanos que passava como um antropônico comum com facilidade. Sofreu um atentado por parte de um dobuk, que o responsabilizou pela morte de sua semelhante, mas depois se entendeu com o agressor, que acabou sendo deportado do Sistema Solar. Também passou a frequentar grupos místicos e comunidades religiosas, e era, das pessoas da missão, o único que mantinha contado regular com Lunis. Chamou atenção apenas o fato de que subitamente, no meio de uma das recorrentes entrevistas que deu sobre os eventos do sistema NOVITA, encerrou o assunto e se retirou, e depois se recusou terminantemente a voltar a falar sobre qualquer coisa relativa ao Planeta Fantasma.

Eli
Antropônico Madre-Terrestre

Administrador de sistemas de informação e psicólogo de mentes computacionais, a Pastor-6 foi a primeira missão interestelar de Mahatma Eli, embora ele já contasse com vasta experiência nas estações espaciais madre terrestres da série continental, tendo assumido cargos na ANTARTIKA, AFRIKA e ATLANTIA. Após retornar a Madre-Terra, assumiu outro cargo na AMERIKA, onde permaneceu até a condição de líder trinário da estação, com especialidade em segurança mental de computadores. (A Série Continental abrange 7 grandes naves / estações espaciais que tem como principal funções pesquisa, administração espacial, fiscalização orbital e defesa planetária. Todas tem nomes de "continentes", reais ou fictícios, com nomes começados e terminados em "a". São elas: AFRIKA, AMERIKA, ANTARTIKA, ARTIKA, ATLANTIA, AUSTRALIA e AZIA. Elas se distribuem em posições fixas a cerca de 50 mil km de altitude, aproximadamente sobre as localidades que remetem, sendo então óbvias as que sobrevoam os pólos, e as que se distribuem ao longo da linha equatorial. AUSTRALIA fica sobre o Oceano Pacífico. ATLANTIA é a única que não possui posição fixa, permanece circulando em torno do planeta, fazendo interconexão de equipamentos entre as demais, que formam os vértices de um octaedro imaginário em torno do planeta, realizando pesquisas em prol de construir um sistema de escudo planetário similar aos encontrados no Sistema POLAIGA.).

Filia
Antropônica Madre-Terrestre

Diretora de pesquisa, administradora, gerente empresarial e historiadora, além de diversas outras áreas, Filia di Dragon Barchelai era uma mulher que parecia ser capaz de qualquer empreitada, e sua entrada na Pastor-6, sem nenhuma experiência prévia de direção de frotas espaciais, foi resultado mais de sua capacidade política pessoal do que de suas credenciais científicas. Foi a principal responsável por providenciar o desvio da frota para a missão em NOVITA, sem a qual sua missão teria resultados irrelevantes para o progresso da exploração espacial. No entanto, foi uma das primeiras, e das mais afetadas, pelas perturbações provenientes do Planeta Fantasma, tendo durante a maior parte do tempo manifestado comportamento destoante de sua personalidade geralmente calma e fria. Precisou de fartas terapias e tratamentos neurológicos após retornar à Mãe-Terra, e decidiu então não mais sair do planeta, passando a se dedicar exclusivamente a história, sua primeira área de pesquisa. Filia tinha um motivo pessoal para não gostar de DAMIATE, e certa vez chegara a prometer a si mesma que, se um dia o encontrasse cobraria uma explicação para o fato de ter matado toda a população de 707 mil habitantes do planeta natal de sua avó. Ao que parece, unicamente porque este fora brevemente aliado, ou escravo, das seilans. Somente isso a deixava em dúvida, pois não sabia quem temia mais. No entanto, ao encontrar o Lorde-Mestre frente a frente, ficou tão chocada que sequer se lembrou de qualquer outra coisa que não a situação desesperadora que viviam naquele sistema estelar que, para ela, era constituído de nada menos que da essência dos pesadelos.

Irig
Antropônico Kluman

Biólogo de formação, só se interessou por exobiologia após ingressar na Pastor-6, influenciado pelos relatos de seus colegas na frota anterior em que serviu. Mas seus conhecimentos de fauna Kluman, repleta de criaturas com propriedades bioluminiscentes, foi bastante aproveitada para o estudo dos animais encontrados em NOVITA-5. Após os eventos do Planeta Fantasma, voltou à KLUMA, onde passou anos em terapias de recuperação, e terminou dando a volta por cima, voltando aos estudos e contribuindo em sua área original. Foi capaz de recriar algumas das criaturas que conheceu em NOVITA-5, produzindo novas espécies com as mais diversas finalidades, e conseguiu notoriedade. No entanto, jamais teve qualquer outro relacionamento afetivo, e sua opinião sobre o acontecido, e sobre as seilans, não era conhecida, pelo fato dele jamais comentar o assunto.

Samuel Jerok
Antropônico Madre-Terrestre

Na verdade era um Meta-Antropônico, que no entanto preferia esconder sua verdadeira natureza, em geral por pensar que ser um antropônico comum com suas habilidades era muito mais dignificante que como um meta-antropônico, para os quais tais habilidades tendiam a ser consideradas triviais. Especialista em telecomunicações, era aquilo que nos primórdios da história da computação costumava ser descrito como um hacker, embora o equivalente em sua época tinha mais a ver com psicologia cognitiva que com tecnologia informática, visto ser necessária uma boa dose de auto controle para ludibriar sistemas de segurança que, sempre, aplicavam métodos psicológicos de avaliação de quem requere acesso a partes restritas de sistemas de informação. No entanto, por ter sido um tanto afetado pela pressão mental emanada de NOVITA-5, Jerok precisou compensar sua perturbação com abordagens brilhantes sobre os mecanismos de segurança dos sistemas integrados da frota, em especial desenvolvendo programas neurais sutis que penetravam nos computadores mentais como se fossem flutuações inconscientes normais, que estavam cada vez mais frequentes devido à mesmas perturbações mentais do planeta. Ou seja, seu brilhantismo foi principalmente o modo como, percebendo a perturbação em si mesmo, conseguiu percebê-la também nos computadores mentais, e explorando-a, conseguir diversos modos de ludibriar a segurança. Infelizmente, seu desaparecimento inviabilizou que se descobrisse mais a respeito dos eventos ocorridos, e sua participação em especial. Mas após a liberação parcial de informações sobre o ocorrido, o campo de estudos de psicologia computacional recebeu notável incentivo, principalmente devido a ter inspirado novas abordagens contra a segurança de sistemas, que se baseavam exatamente em criar, ou explorar, situações de tensão para penetrar com mais facilidade nos sistemas de dados, em geral liberando-os para a Infosfera. Como a maior parte da segurança na época ainda era baseada no trauma advindo dos crimes cometidos pelo Magnetron, as técnicas a respeito de segurança com base psicológica estavam defasadas.

Jalani
Antropônica Kluman

A comandante da frota Kluman impressionava não só pela aparência, alta, voluptuosa, olhos castanhos amendoados, pele reluzente. Mas também pela personalidade forte, imponente, e pouco preocupada em ser delicada ou simpática. Era membro de um grupo de elite especializado em enfrentar a ameaça seilan, sendo imune aos poderes sedutores e telepáticos das feiticeiras, e possuindo condição física e mental fortíssima. Após os eventos em NOVITA, permaneceu por alguns anos rondando sistemas estelares próximos em busca de qualquer sinal de que algo pudesse ter sido afetado pela atividade do Planeta Fantasma, e posteriormente retornou a Kluma para uma aposentadoria precoce.

Lunis (Sanalunisim Krala Flexia)
Antropônica Seilan

A primeira feiticeira Seilan a residir permanentemente em Madre-Terra não poderia deixar de chamar atenção, por isso, a associação a um grupo de elite de supermetas lhe interessou mais pelos privilégios de privacidade que isso lhe garantiria, visto que tais grupos tem suas informações e vida pessoal protegidas por determinações legais, havendo restrições até mesmo na INFOSFERA. O que, ainda assim, não impede que alguns deles sejam bastante famosos e assediados. Superando as dificuldades e desconfianças iniciais, Lunis ainda teve alguns problemas pessoais com a Supermeta DANIA do Divisão de Elite de Nova Acrópolis, da qual passou a fazer parte, e ainda mais com a Hiper-Meta fotossilicônica SEINEL, da divisão de BEL-LAR, basicamente por conta desta última desconfiar que seu parceiro, Traigon, estivesse em constante perigo perto da seilan. Afora isso, se tornou muito bem relacionada, ganhando a confiança de todos e possuindo o maior fã-clube planetário, com uma imensa lista de homens que queriam se tornar seus servos pessoais a despeito das inúmeras restrições. Apesar de ter contribuído muito para a segurança planetária e se tornar valiosa presença em Mãe-Terra, a feiticeira também ajudou a esclarecer melhor a ameaça seilan, servindo de pequeno exemplo do que uma única feiticeira poderia fazer caso invadissem o planeta. Após a presença de Lunis, Madre-Terra restringiu ainda mais o acesso das feiticeiras às Terras-Filhas sob sua influência direta, e a Defesa Espacial subiu um nível no rigor de vigilância contra aproximações estranhas ao Sistema Solar.

Os Seilans
(servos de Lunis)
Antropônicos Seilan

A falta de individualidade de muitos dos homens seilans é tão grande que é comum não se saber seus nomes, visto que frequentemente se apresentam apenas com um composto de título social e o nome de sua senhora, no caso destes o equivalente a "Sr. LUNIS". Após os eventos ocorridos, foram para Madre-Terra com sua senhora, e lá permaneceram em regime similar ao de seu planeta tradicional, resistindo ao assédio midiático que tentava exibi-los como exóticas novidades, visto serem os primeiros homens seilan a residirem em Madre-Terra sob o domínio de uma senhora, o que não é o caso dos poucos outros imigrantes seilans que já residiam no planeta. Posteriormente, viriam a dividir seu espaço com um outro homem de origem seilan, e outro de origem madre-terrestre, totalizando 4 servos da feiticeira Lunis que, como se dizia, estava construindo seu harém particular apesar de, oficialmente, esse tipo de regime não ser bem visto na Mãe-Terra. Esse "casamento" poliândrico seilan é quase como uma adoção, onde os homens ficam perpetuamente num estágio similar ao da menor idade, delegando a responsabilidade de seus atos sempre à sua senhora. Como responsabilidade e autoridade são indissociáveis a não ser que se permita terrível injustiça ou negligência, eles se submetem à autoridade da senhora. No entanto, em Madre-Terra, eles passaram a gozar de um grau maior de liberdade, por exigência direta do Conselho Octal, afim de achar um meio termo intercultural.

Luriander
Antróide Antropônico Fotossilicônico Hipermetanatural de Orizon V

RY-3 Luriander Orizon 5 é o nome completo original, embora ele tenha colecionado alguns pseudônimos. Após abandonar seus sistema estelar natal, Luri jamais retornou, mas passou décadas vagando por sistemas estelares próximos, visitando colônias antropônicas e por vezes protegendo-as de ameaças alienígenas, até que subitamente desaparece sem deixar qualquer registro confiável. Mesmo nas Infosferas dos planetas mais avançados, como Sofistia, as informações sobre ele são confusas e incompletas, induzindo muitos a considerarem uma espécie de lenda resultante da confusão entre os RYs originais de primeira geração, e outros de segunda geração que possivelmente tenham sido gerados em segredo. Mesmo depois dos eventos ocorridos no sistema Novita, permaneceu o mistério sobre ele, fazendo muitos até mesmo suspeitarem de que fosse algum tipo de fraude, produzida por DAMIATE, que teria criado um outro hiper meta e tentado fazer todos acreditarem que se tratava do RY-3 original. Ao menos até logo após os eventos descritos em ALICE 3947, Luriander jamais esteve em Madre-Terra.

Keiko Xasanaia
Antropônica Madre-Terrestre (entre os Marou)

Nascida em Madre-Terra, no distrito de Nagoya do arquipélago Japonês (cujas cidades são, em sua maioria, edificações completamente novas construídas centenas de metros acima do nível do mar e são totalmente interligadas por vastos túneis suspensos), desde criança se mudou para a cidade utópica de Xantai, onde até cursou o primeiro ano de treinamento para metanaturais, porém sem qualquer sucesso. Se tornou exoantropóloga e passou a viajar para outros sistemas estelares, residindo durante 8 anos em Sofistia, onde aperfeiçoou seus estudos, e depois se mudou para ROUMA, de onde passou a integrar expedições exo arqueológicas com diversos outros estudiosos. Os Marou integram com frequência alienígenas em suas tripulações, possuindo um forte programa de intercâmbio científico. Há milhares de antropônicos entre eles, alguns residindo em definitivo. Posteriormente, mudou para Sofistia, não tendo planos de regressar à Madre-Terra.

Klubis
Marou

Como todo Noxi, se dedicava exclusivamente a sua profissão, no caso, de pesquisador espacial e exo arqueólogo, inclusive porque esta última disciplina era uma das mais populares entre os Marous, o que tornava ROUMA um planeta quase obrigatório para aqueles pesquisadores de outras espécies que queriam atingir a excelência nesse ramo de investigação. Após os fatos ocorridos em NOVITA-5, Klubis passou de um desconhecido para uma ilustre personalidade em ciência exo arqueológica, embora surpreendentemente não tenha se dedicado tanto quanto se esperaria em estudar os vastos dados que foram obtidos na visita ao Planeta Fantasma. Em parte porque apesar da repercussão, houve alguns temas tabus que resistiam a verificações, em especial pelo medo de que violassem dogmas consagrados da civilização Marou, deveras orgulhosa de sua ligação indireta com Primordiais. O que de fato acontecia. Os achados arqueológicos obtidos no Planeta Fantasma, por exemplo, não davam suporte algum a consensos sobre a pré história da galáxia, como supostos fenômenos de vastidão total que teriam se dado bem antes da estimada construção das galerias subterrâneas. Ademais, a própria e simples existência de tal "prisão" de hiper metas monstruosos soava como uma afronta ao suposto modo de vida harmônico, utópico e extremamente avançado dos primordiais, que só viria a ser abalado com a proliferação dos Graiaks, que, teorizavam os marous, ainda tinham descendentes numa espécie exilada e particularmente temida conhecida apenas como Extra Galácticos, por terem sofrido algum tipo de expulsão por forças primordiais remanescentes, e só muito posteriormente conseguindo voltar a se aproximar da Galáxia. A criatura denominada de XUBNIGURAT, por exemplo, tinha muitas características que supostamente integravam essas entidades, também conhecidas como IEGs, um dos motivos pelos quais eram tidos como uma ameaça a todas as espécies senscientes.

Matua
Antropônica Kluman

Diferente de Jalani, não era uma comandante, mas sim uma especialista em armas e tecnologia, que fora convocada às pressas para compor uma tripulação mais preparada para enfrentar seilans, visto ser treinada em severas disciplinas mentais e autocontrole. Com isso, acabou assumindo o lugar de segunda em comando apesar de sua inexperiência no assunto. Atlética e vigorosa, era também versada em artes marciais, embora tais habilidades não tenham sido requisitadas.

Randol
Antropônico Madre-Terrestre

Embora nascido em Madre-Terra, Jeime Randol Aris passou a maior parte da vida em outros planetas, e em parte a saudade de seu mundo natal pode tê-lo estimulado a estudar cultura madre terrestre antiga, em especial literatura. Voltava ao Sistema Solar pela segunda vez quando, por acaso, se juntou a Pastor-6 pouco antes desta ser desviada para Novita-5, o que quase o fez abandonar a frota. Após sua chegada à Mãe-Terra, e em recompensa aos preciosos serviços prestados na missão, obteve recursos para pesquisa em um campo promissor, mas ainda pouco estudado, Teoria Mentônica Internárvica, a proposição de que Narvas distintos, isto é Mini Universos Fechados, como era o caso da Galáxia, podiam se influenciar mutuamente apenas por meio de sutis conexões mentônicas, onde a realidade coletiva de uma se espelhava na realidade individual de alguns habitantes de outra. Ou seja, o que seria a realidade compartilhada por todos num universo, estaria representada na imaginação individual de uma única, ou poucas, mente em outro universo. O que era pura ficção literária num mundo, seria realidade plena no outro, de modo que o autor da obra fictícia teria, em paralelo, prerrogativas divinas no outro mundo. Em outras palavras, a Divindade suprema de um Narva qualquer estaria espelhada na mente de uma mente comum de um outro Narva. Essa idéia se disseminou tanto no senso comum que era notório uma tendência ao "otimismo" em escritores de fantasia e ficção científica por um motivo ético. "Criar" mundos com grandes quantidades de sofrimento, imaginar grandes tragédias, era, de certa forma, produzir sofrimento real em um outro universo, o que gerou uma onda de escritores "benevolentes" com seus personagens! E, é claro, gerou grandes críticas a respeito da qualidade e profundidade dos novos estilos literários. De fato a evidência acumulada por Randol nos eventos de Novita-5, ainda que um tanto censuradas, apontavam para uma concepção de influência mentônica intranárvica, uma vez que autores de uma era pré-DAMIATE teriam antevisto, ou mesmo produzido, os eventos ocorridos no Planeta Fantasma, o que viria também a influenciar produções midiáticas posteriores que passaram a ser mais cautelosas em imaginar futuros distópicos. Intensificou também a discussão a respeito do papel de profetas e visionários em geral. Seriam eles vislumbradores, ou criadores do futuro? Embora tenha sido um dos maiores expoentes da discussão, Randol terminou por desanimar e abandonar essa linha de pesquisa. Enfrentou graves problemas pessoais e terminou se aposentando precocemente, embora sempre tenha mantido contado com estudantes e admiradores.

Selia
Antropônica Madre-Terrestre

Era um membro importante da engenharia da frota, e ainda mais em tecnologia de armas. A única da frota habilitada para fazer manutenção em Espadas Espaciais, embora isso raramente seja necessário. Na infância, chegou a fazer testes de metanaturalidade, uma vez que aparentava ter capacidade telepática latente, mas apesar de isso não chegar a ter sido descartado, não obteve desempenho necessário para que o ciclo primário de treinamento meta natural fosse recomendável. Em parte isso deve explicar sua abertura ao assédio telepático pelas entidades do Planeta Fantasma, uma vez que poucos são mais vulneráveis do que alguém com habilidades telepáticas latentes não desenvolvidas. Sua morte teve grande repercussão na Mãe-Terra, e sua família, apesar da vasta indenização que recebeu, nunca se conformou com o ocorrido. Movendo toda sorte de processos judiciais, inclusive contra Lunis, que no entanto nunca foram bem sucedidos.

Sonija
Antropônica Madre-Terrestre

Jamais retornou à Mãe-Terra, indo direto para a Vênus e permanecendo somente o tempo necessário para ser investigada sobre os eventos ocorridos na missão da Pastor-6. Assim que foi liberada, integrou-se a outra frota exploratória e partiu em definitivo do Sistema Solar.

Taulin
Antropônico Madre-Terrestre

Mal chegou à Madre-Terra, se aposentou de imediato, cumprindo sua antiga promessa de voltar a uma vida bucólica, à beira de um lago cercado por montanhas no continente europeu. Ocasionalmente fornecia entrevistas sobre os fatos acontecidos e chegou em alguns momentos a ser assediado. Porém seus depoimentos e seu prestígio foram vitais para tranquilizar as tensões resultantes, inclusive às relativas à sua passageira seilan. Posteriormente escreveu um romance inspirado nos eventos de NOVITA-5, mas cujo grau de distanciamento da realidade foi suficiente para que as autoridades do Conselho Octal não se importassem com seu conteúdo.

Telepata Cizento
Cinza

Não é raro que alguns cinzentos, principalmente os telepatas de alguns grupos mais específicos, não sejam conhecidos pelos seus nomes quando estão em pequena quantidade entre outras espécies senscientes. De certa forma, têm orgulho em ser chamados apenas por um termo que identifique sua procedência, sendo que não raro sequer expõem sua individualidade por estarem em contato telepático direto, e à serviço, de sociedades telepáticas relativamente centradas em seus objetivos, de modo que eles terminam por ser meros representantes de uma irmandade. Atitudes como essa, associadas a muitos outros mal entendidos, costumam gerar o mito de que os cinzentos, ou ao menos certos grupos telepáticos, não tem mente individual, e sim coletiva. Na realidade, não existem mentes coletivas. Toda mente é, necessariamente, individual, embora possam ter um altíssimo grau de interconexão. O que ocorre, é que por terem um amplo acesso a outras mentes, funcionam não como terminais de uma mente central, mas como mentes individuais conectadas em rede, que podem, no entanto, a qualquer momento se desligar. Mesmo tendo acesso direto a uma rede mental, cada indivíduo tem características únicas, e não se deve confundir a grande capacidade empática com que os demais podem se colocar no lugar de um indivíduo em especial, com uma mente centralizada que determina os conteúdos de cada unidade sem individualidade. Após os eventos em NOVITA. Este telepata acompanhou Velek por alguns anos e depois partiu para outros planetas habitados pela sua espécie.

Velek
Híbrido Cinza Antropônico

Nascido em Madre-Terra, gozava de grande reputação e passe livre tanto entre sistemas sob influência da Mãe-Terra, a maioria das Terras-Filhas, quanto em planetas cinzentos, o que lhe dava grande amplitude de deslocamento. Após voltar da missão Pastor-6, no entanto, passou a residir com mais frequência no planeta, fazendo viagens científicas cada vez mais curtas até se fixar em Nova Acrópolis definitivamente. Passaria a integrar o Conselho Octal após a aposentadoria de outro cinzento madre-terrestre, Ila Giuvitiz, a partir do ano 688 da Era Pós-Dourada. (Os mandatos dos membros do Conselho Octal são vitalícios.)

Viuik
Dobuk

De uma linhagem pouco comum de dobuks magros, longilíneos e delgados, Viuik não tinha uma família, pois em sua cultura os indivíduos se separam muito cedo de suas mães e terminam por perder contato, não raro se reproduzindo por clonagem. Isso sem dúvida minimizou muito o impacto de sua morte nos eventos decorridos no Planeta Fantasma. Não tinha, inclusive, um planeta natal, pois nascera no espaço, no âmbito de dobuks adaptados a viver em baixa gravidade, em grandes estações espaciais. O que causou repercussão não foi sua morte em si, mas o modo como pôde ser selecionada como alvo telepático primário e servir de ponte de apoio para as mentes estranhas de NOVITA-5. Embora os eventos tenham sido em grande parte abafados, gerou certo desconforto entre os dobuks saber que um membro de sua espécie foi cooptado desta forma, o que terminou por desviar a atenção do potencial político da fatalidade, numa transferência de responsabilidade baseada num preconceito comuns dos dobuks planetários com nômades espaciais.

Xang Hitleria
Antropônica Madre-Terrestre (em Marou)

Nascida no interior da China, num pequeno condomínio a mil kms da cidade de Xantai, Xang experimentou diversas disciplinas antes de optar por arqueologia, e depois por exo arqueologia. Pouco depois dos eventos ocorridos em NOVITA, abandonou seus estudos com os marous e voltou para Madre-Terra, onde terminou por se dedicar à história e artes. Seu sobrenome evoca Adolf Hitler, personagem histórico que, dois mil anos depois de sua existência, não desperta mais qualquer incômodo, sendo visto como outro qualquer.

Zentaris
Antropônico Madre-Terrestre Hipermetanatural Anjo Estelar

Após a crise no Planeta Fantasma, o anjo voltou para seu retiro planetário, mas não por muito tempo. Havia conseguido a façanha de passar relativamente desapercebido, mas agora voltara a ser procurado e assediado mudando-se de planeta novamente e desaparecendo de cena, como lhe era comum. Nunca revelou sequer seu método pessoal para cruzar distâncias estelares entre portais que conectam o centro de gravidade de sistemas estelares similares. Muito tempo depois, viria se realiar a DAMIATE, quando este reuniu em torno de si uma tropa de elite de Hipermetas para um confronto decisivo contra as seilans e outras forças da galáxia que lhe eram hostis, logo após todos terem lutado juntos para repelir a ameaça dos IEGs. Tal "traição" de uma aliança confederada temporária entre quase todas as grandes forças da galáxia foi uma das últimas consequências da manobra de projeção mental de DAMIATE para fora de seu exílio no sistema EXARIA, que jamais foi aceito pelas seilans como legítimo. De certa forma, os eventos ocorridos no Planeta Fantasma podem ser considerados o estopim inicial da crise que viria alvoroçar a galáxia por volta do ano 4000, ou ano 740 da idade pós dourada em Madre-Terra.


Marcus Valerio XR