EU SOU A LENDA
Comparação LIVRO - FILMES


Inauguro aqui uma "seção" que sempre quis ativar neste site: textos que comparem obras de Ficção Científica em suas versões literárias e cinematográficas. A única coisa similar que já fiz foi a monografia Heróis da Areia, mas sempre tive planos para outros obras como A Máquina do Tempo, a qual fiz uma breve resenha na introdução de Os Crononautas, acrescentando que devem ser abordados somente obras que sejam baseadas em livros e dêem origem a mais de uma versão filmada.

O objetivo principal é examinar como uma obra vai sendo transformada em cada versão, de acordo com as tendências da época, refletindo não só sobre sua essência original, mas em como é reinterpretada a cada nova geração. Para que se cumpra esse objetivo, é inevitável a presença constante de SPOILERS, isto é, informações sobre a obra que normalmente estragam a surpresa de quem ainda pretenda examiná-la por si próprio. Portanto, para quem ainda planeje ler o livro ou ver algum dos filmes, e não gosta de saber antecipadamente seu desenvolvimento, é desaconselhável ler esse texto.

Os filmes baseados no livro de Richard Matheson I AM LEGEND são muito apropriados. Embora o livro original possua deficiências estilísticas e narrativas, a idéia original é comprovadamente forte, tanto que deu origem a 3 filmes. Segue embaixo um quadro comparativo entre os mesmos.

Obra
Eu sou a Lenda
(LIVRO-EUA-1954)
Alterado em 1982
Last Man on Earth
(Filme-Itália-1964)
The Omega Man
(Filme-EUA-1971)
Eu Sou a Lenda
(Filme-EUA-2007)
Narrativa
Em terceira pessoa (Restrita ao personagem), com flashbacks explicativos.
Restrita ao personagem, com flashbacks explicativos.
Parcialmente focada no personagem principal, mas mostrando sequências focadas na "Família" de vampiros, e nos sobreviventes. Tem flashbacks explicativos.
Restrita ao personagem, com flashbacks explicativos.
ROBERT NEVILLE
O Personagem Principal
É descrito como sendo Louro de Olhos Azuis.
Vincent Price
Charlton Heston
Will Smith
Profissão do Personagem Principal
Indefinida, era um trabalhador comum que se torna cientista amador após a praga. É imune por ter sido uma vez mordido por um morcego com uma versão anterior e menos forte da praga.
Já era um cientista desde antes da praga. É imune por ter sido uma vez mordido por um morcego com uma versão anterior e menos forte da praga.
Já era um Cientista Militar, desenvolveu na última hora uma vacina que só teve tempo de aplicar nele mesmo..
Já era um Cientista Militar Famoso, que teve papel central nos esforços para deter a pandemia. É naturalmente imune.
Ambientação
Cidade Norte-Americana indefinida a partir de 1976 (22 anos no Futuro)
Cidade indefinida a partir de 1968 (4 anos no Futuro)
Los Angeles a partir de 1977 (6 anos no Futuro)
Nova York a partir de 2009 (2 anos no Futuro)
Origem da Praga
Doença bacteriana natural, que já existia há séculos, mas se alastrou definitivamente após sofrer mutações provavelmente resultantes dos testes nucleares e poluição ambiental.
Doença bacteriana natural, que já existia há séculos, mas se alastrou definitivamente após sofrer mutações provavelmente resultantes dos testes nucleares e poluição ambiental.
Guerra Bacteriológica entre a China e a URSS
Vírus resultante de manipulação genética com objetivo inicial de cura do câncer.
Vampiros
Dois tipos: Os 'mortos', que haviam ressuscitado, similares a zumbis, lerdos e semi-inteligentes; E os 'vivos', que não chegaram a morrer, e foram se adaptando à doença e recuperando suas qualidade humanas.
Dois tipos: Os 'mortos', que haviam ressuscitado, similares a zumbis, lerdos e semi-inteligentes; E os 'vivos', que não chegaram a morrer, e foram se adaptando à doença e recuperando suas qualidade humanas.
Um único tipo, inteligentes, de capacidades físicas normais, que vivem de modo medieval por repudiarem tecnologia avançada. Denominam-se "A Família", e se consideram uma nova raça que herdou o mundo.
Um único tipo, semi-inteligentes, fortes, rápidos e muito ágeis.
Vampiro de destaque
Ben Cortman, que era vizinho de Neville e que o reconhece, chamando-o pelo nome. Neville tem um sentimento ambíguo por ele, por vezes querendo matá-lo, por outras se apiedando.
Ben Cortman
(Giacomo Rossi-Stuart)

Era vizinho e colega de trabalho, cientista, de Neville. O sentimento de Neville por ele é menos claro que no livro.
Mathias
(Anthony Zerbe)

Um ex-jornalista que é o líder da 'Família'.

(Dash Mihok)

Um 'macho-alfa' que se destaca por ser mais forte e inteligente que os demais, preparando até armadilhas para o protagonista, e que usa cães vampiros.
Vulnerabilidades dos Vampiros
Luz do Sol, Alho, Cruzes (não todos), Espelhos (não todos), Estacas de Madeira.
Luz do Sol, Alho, Cruzes (não todos), Espelhos (não todos), Estacas de Madeira.
Luz do Sol, Luz forte em geral.
Luz do Sol
Objetivos dos Vampiros
Os 'mortos' apenas querem sangue, os 'vivos' pretendem criar uma nova sociedade, tendo para isso que eliminar o protagonista.
Os 'mortos' apenas querem sangue, os 'vivos' pretendem criar uma nova sociedade, tendo para isso que eliminar o protagonista.
Pretendem criar uma nova sociedade eliminando os vestígios da tecnologia avançada e seu principal representante, o protagonista.
Apenas querem sangue.
Sobreviventes humanos
Robert Neville é o único.
Robert Neville é o único.
Há um pequeno grupo de humanos jovens infectados mas que ainda não manifestaram os sintomas da doença, e ajudam o protagonista.
Há um pequeno grupo de humanos naturalmente imunes, como Neville.
Esconderijo do Protagonista
Sua própria casa, suburbana, adaptada com recursos defensivos como espelhos, alho, madeiras pregadas nas janelas, gerador próprio a gasolina etc. Os vampiros conhecem sua localização, e todas as noites cercam a casa para atormentar o protagonista, que se isola ouvindo música alta.
Sua própria casa, suburbana, adaptada com recursos defensivos como espelhos, alho, madeiras pregadas nas janelas, gerador próprio a gasolina etc. Os vampiros conhecem sua localização, e todas as noites cercam a casa para atormentar o protagonista, que se isola ouvindo música alta.
Seu próprio apartamento de cobertura com cerca de 3 ou 4 andares, protegido com trincheiras, luzes e outros sistemas defensivos. A "Família" conhece sua localização e todas as noites cerca a casa para provocar o protagonista.
Seu próprio apartamento, adaptado com sistemas de alarme, portas blindadas e explosivos defensivos. Os vampiros não conhecem sua localização.
O Cão
Aparece inesperadamente e depois foge, sem apresentar sintomas da doença. Neville passa semanas tentando ganhar sua confiança até finalmente conseguir levá-lo para casa. No momento em que começa a dar os primeiros sinais de infecção. Morre pouco depois. Mesmo sem muito contato, o protagonista desenvolve forte afeição pelo cachorro.
Um Coker Spaniel preto, aparece inesperadamente e depois foge, sem apresentar sintomas da doença. Neville passa alguns dias ganhando sua confiança até levá-lo para casa, quando começa a dar os primeiros sinais de infecção. Morre pouco depois.
Não há.
A cadela Samantha, Pastor Alemão, acompanha o protagonista desde pequena, sendo sua parceira integral. O sentimento entre eles é fortíssimo. Ela é imune somente à versão aérea do vírus, e morre após ser atacada por cães vampiros, numa sequência fortemente emocionante.
A "Sobrevivente"
Ruth Ellis é descrita como ruiva, de pequena estatura. É avistada por Neville e foge, tendo que ser levada à força e demorando muito para cooperar com o protagonista. Alega ser uma sobrevivente que acabara de perder os últimos membros de sua família, e se recusa a ser examinada para confirmar se está infectada. Posteriormente, se revela uma espiã dos "vampiros vivos", com o objetivo de ajudar na captura de Neville, no entanto, ela se arrepende, e tenta ajudar o protagonista.
Ruth Ellis
(Franca Bettoia)

Segue a linha da personagem do livro, porém revela seu verdadeiro propósito de forma diferente.
Lisa
(Rosalind Cash)

Inicialmente foge do protagonista, depois ajuda a resgatá-lo quando ele é capturado pela "Família". Faz parte do pequeno grupo de sobreviventes que ainda não desenvolveu os sintomas do vírus. No começo é hostil com Neville, mas logo se entendem.
Anna
(Alice Braga)

Uma brasileira que veio de São Paulo procurando por uma colônia de sobreviventes. Salva o protagonista quando ele é atacado pelos vampiros, e também é imune ao vírus.
Por que
"Ele É A Lenda"?
Por matar sistematicamente os vampiros como parte de sua rotina diária, ele passa a ser considerado como o "bicho-papão" da nova sociedade que começa a emergir. Os vampiros o temem de modo inicialmente mítico, mas à medida que vão se organizando e se aperfeiçoando, tomam providências para capturá-lo.
Por matar sistematicamente os vampiros como parte de sua rotina diária, ele passa a ser considerado como o "bicho-papão" da nova sociedade que começa a emergir. Os vampiros o temem de modo inicialmente mítico, mas à medida que vão se organizando e se aperfeiçoando, tomam providências para capturá-lo.
Como também ocorre nos exemplos anteriores, ele é visto como o último representante da antiga humanidade, e embora não seja temido, sua destruição é vista como missão sagrada pela "Família". Também se torna o herói mártir dos outros humanos sobreviventes
É o herói martir dos humanos sobreviventes. (Versão Original)

É visto como um inimigo pelos Vampiros por capturá-los ocasionalmente, para suas experiências em vista a achar a cura. (Final Alternativo)

Como se pode notar, há uma nítida evolução nas adaptações, que a afastam da obra original e a adaptam a conceitos de época. O livro e o primeiro filme abordam a idéia de uma pandemia que se alastra de modo natural, já The Omega Man, que foi feito no auge da Guerra Fria, incorpora toda a ameaça de uma guerra global da época, atribuindo, porém, a criação da doença às armas bacteriológicas dos comunistas. E como seria de se esperar, a mais recente versão com Will Smith explorou a popular questão da manipulação genética com fins pacíficos, mas que resulta em um desastre, martelando pela enésima vez a má e velha ladainha de que a ciência é potencialmente perigosa e a humanidade não deve "brincar de Deus".

Uma outra obra recente, de outro autor, se assemelha a esta última versão também, tendo como principal diferença o fato de haver vários sobreviventes, vivendo numa colônia, ter alguns elementos de paranormalidade, e uma ambientação mais adiante no futuro, quase um século após a epidemia de um vírus vampiro se espalhar pelo mundo. Trata-se do livro A Passagem de Justin Cronin, que promete ser o primeiro de uma trilogia e também deverá chegar aos cinemas.

Neste último caso, porém, o vírus vampiro é resultado de uma experiência científica militar com óbvios fins bélicos, que evidentemente, ao fugir do controle, solta no mundo um pequeno grupo de vampiros fosforescentes, rapidíssimos, extremamente fortes e quase invulneráveis, lembrando tanto os vampiros da última versão de "Eu Sou A Lenda" quanto os da série Crepúsculo, embora mantenham sua vulnerabilidade ao sol e a perfurações na região do coração. Similar também é a proporção da epidemia, que tal como no filme com Will Smith, mata cerca de 90% da população enquanto os demais se tornam vampiros.

Por fim, gostaria de apontar uma curiosidade sobre, mais uma vez, a última versão do livro de Richard Matheson, curiosamente a mais distanciada da obra original, mas a única que manteve o título. É que, estranhamente, uma quantidade incrível de espectadores interpretou os monstros do filme como sendo zumbis!!!

Apesar de filme ou livro algum jamais ter mostrado zumbis sugadores de sangue ou que não possam se expor ao sol, e apesar destes serem justamente as principais características dos vampiros, e apesar destes últimos serem quase sempre caracterizados como seres muito rápidos ao passo que zumbis quase sempre são muito lentos, AINDA ASSIM há quem conseguiu confundir as coisas! Como explicar isso?

Curiosamente, a explicação é simples. É que "Eu Sou A Lenda" e o recente "A Passagem", são praticamente as únicas obras a apresentarem vampiros num cenário apocalíptico, que por outro lado, são típicos dos zumbis. Classicamente os vampiros continuam sendo geralmente representados em cenários mais típicos do mundo normal, vivendo ocultos e sendo minorias, inteligentes e refinados ao passo que os zumbis quase monopolizam cenários de fim do mundo, com a destruição da sociedade, sendo sempre irracionais e monstruosos.

Dessa forma, "Eu Sou A Lenda" realmente mistura características das duas temáticas, e essa originalidade certamente é um dos motivos pelo qual fez tanto, e merecido, sucesso.

Marcus Valerio XR

Este texto foi originalmente concebido entre 25/02/08 - 00/09/08,
e finalmente finalizado e atualizado em 25/01/11.