Textos Mais Recentes

O Extermínio
do Futuro

30/01/2020

Existe um Imperialismo Oriental?
12 / 2018

VAMPEL II

Matrimonium Lamia Nocts
21/03/2018


inCompetência e Presciência da Vara de Curitiba
16/09/2017

Gladium Volantis
10/08/2017

VAMPEL
Vocationem Lamia Noctis

23/06/2017

ABISMO NEGRO
Um Clássico da FC

02/06/2017

Feminismo "Benevolente" e Feminismo Radical
15/02/2017

Homens e Aborto
09/02/2017

Globalização, Globalismo e Globismo
24/01/2017


2 0 1 6

Feminismo Neo Pentecostal 01/11/2016

O Feminismo Desvirtuando as Instituições
22/09/2016

Os Titereiros do Capital e suas Marionetes de Esquerda
24/08/2016

A Guerra Contra a Reprodução
03/08/2016

A Família em Desconstrução Linguística
22/07/2016

Muita Sandice numa Burrice Só
18/07/2016

As Águas Sujas da Privatização
30/06/2016

Do Pré-Sal ao Impeachment
O Maravilhoso Mundo das Coincidências Fabulosas

28/06/2016

OBLIVION
Obra-Prima da FC

18/06/2016

O Estupro Coletivo da Consciência Social
14/06/2016

Os 300 da Suécia
26/05/2016

À Espera de
Um Milagre
(econômico)

21/05/2016
2 0 1 5

5 Bobagens Planetárias da FC 26/11/2015

Sensual Kombat
08/11/2015

TELLUS
X
THALASSA

15/07/2015

QUARTO Esboço de uma FILOSOFIA DO CAOS
28/06/2015

A Verdade Sobre Margareth Sanger
Ela NÃO Era Abortista!

28/06/2015

A Dignidade Humana Entre A Esquerda e A Direita
19/06/2015

Pode o Feminismo Não Ser Misândrico?
09/06/2015

Mad Max
Fury Feminist?

28/05/2015

Batalhas Espaciais II
26/04/2015

ABORTISMO
05/03/2015

Aborto à Francesa
05/03/2015

A Queda da Lua
23/02/2015


2 0 1 4

3o Esboço de uma FILOSOFIA DO CAOS
21/12/2014

Invertendo a Igualdade
18/12/2014

Desleitura Feminista em Christine de Pizan
01/12/2014

ESTUPRISMO
18/11/2014

Disputa Semântica
18/11/2014

Por que VEJA odeia o PT?
06/11/2014

Estuprando Números
11/09/2014

rePensando o Feminismo
19/08/2014

GRIDVENCE
15/07/2014

A Fundação do Feminismo
25/06/2014

5.000% de Paranóia
10/05/2014

Pensando nELA
25/04/2014

Atacando uma Ficção
20/04/2014

Estuprando a Justiça
03/03/2014

Entendendo a MISANDRIA
18/02/2014

Heroísmo: O Outro Lado da Masculinidade
18/02/2014

Em Defesa do Patriarcado
03/02/2014


2 0 1 3

Hipótese Benevolente à Cruzada Anti-Reprodutiva
31/12/2013

A Cultura do ESTUPRO
28/11/2013

O Estupro da CULTURA
28/11/2013

Expressar ou Doutrinar?
26/09/2013

Traindo o Movimento
27/08/2013

Filosofia, Ideologia e Militância
26/08/2013

Infeliciana Homofobia
17/08/2013

As Ovelhas e os Memes
13/08/2013

Complexo de Paraíso Perdido
06/08/2013

Financiamento Público de Campanha
12/07/2013

Cavalheirismo é Sexismo?
10/07/2013

'DeZrazões' Para Liberar as Drogas
11/05/2013

Meta-Teoria da Conspiração
11/05/2013

O Fantasma de CHE
11/05/2013

Revolução Digital
11/05/2013

VEJA - Um Tiro na Cabeça
11/05/2013

Da ESQUERDA para TRÁS
02/04/2013

A Cara do BRASIL
15/03/2013

HIPERGAMIA - Fundamentação
02/02/2013


2 0 1 2

GenoGênese
21/12/2012

Simbolismo do Aborto
16/11/2012

O Argumento Decisivo
16/11/2012

Aborto Repensado
16/11/2012

Em Defesa do Estado
03/10/2012

Reflexões Mentalistas - Virtualidade Real
30/09/2012

2o Esboço de uma Filosofia do CAOS
04/07/2012

Hipergamia 2.5 Adendo - 1 Ídolos
03/07/2012

O Escudo do Capitão América
13/06/2012

MARX X Marxismo
01/06/2012

Da ESQUERDA para BAIXO
13/05/2012

GINOTOPIA - Hipergamia V
03/05/2012

Lesbianismo
03/05/2012

Estado X Indivíduo
04/03/2012

Das Indestrutíveis Idéias
04/03/2012

A Revolta dos Titãs
09/02/2012

1o Esboço de uma Filosofia do CAOS
30/01/2012

Hora, Data, Temperatura
26/01/2012

Ateísmo e Relativismo
21/01/2012


2 0 1 1

Religião Musical
26/11/2011

Calendários Alternativos
22/11/2011

Vôos, e Quedas, Ideológicos
10/11/2011

Horário de Verão no Brasil
07/11/2011

Hipergamia
Introdução

27/09/2011

Hipergamia IV
Atração Sublimada

27/09/2011

Hipergamia III
Atração Social

19/09/2011

Hipergamia II
Atração Imoral

11/09/2011

Hipergamia I
Atração Fatal

08/09/2011

Pornografia e Machismo
25/08/2011

Viagens Espaciais
18/06/2011

Teletransporte
18/06/2011

Viagem no Tempo e Paradoxo Temporal (Finalizado)
14/06/2011

Heróis de ESQUERDA X Heróis de DIREITA
10/03/2011

ZUMBIS à Esquerda, VAMPIROS à Direita
10/03/2011

RY-5
10/03/2011

Crônica de GRADIVIND
26/11/2011

Eu Sou A Lenda
25/11/2011

Histórico de Textos Publicados
2 0 2 0
9 de Maio

Sem Querendo ser chato, eu disse, 17 dias antes de se consumar, que apostava que Sérgio Moro seria o maior dos traidores de Bolsonaro, aos 4:36 / -3:12 do vídeo publicado em 7 de Abril , no qual relatei a conclusão de que Bolsonaro enlouqueceu.

Mas bem antes ainda, 17 de março de 2019, eu já havia aventado isso como possibilidade, ao dizer "E quem tem vazado os dados da COAF justamente após Sérgio Moro ter assumido seu controle? Não se esqueçam que Moro É TUCANO até a medula! Num confronto mais acirrado entre as máfias midiáticas e o clãzinho carioca, não pensará duas vezes e derrubará o governo por dentro em beneficio de seus colegas maçons."

E não só isso, eu discori longamente, em 31/12/18, que 2019 seria um ano muito ruim, principalmente em termos econômicos. Cansei de dizer que Bolsonaro era sim corrupto, mas que isso seria irrelevante para seu eleitorado, e que nada faria de efetivo contra a Neoesquerda, num mesmo texto, além de outros, onde, por sinal, disse que a inflação iria cair.

E não há nada demais nisso. Além de alguma sorte, e de não ser um olavete idiota, é questão de prestar atenção aos fatos, o que também pressupõe, claro, não ser bolsonarista.

Também errei. Disse várias vezes que Mourão era o verdadeiro perigo, e talvez ainda seja, mas Bolsonaro tornou-se tão absolutamente hediondo que devo admitir que é melhor tirá-lo e dar o lugar ao vice. E é claro, jamais poderia prever a situação que vivemos agora.

E não, não vai ter golpe! Não em favor do mentecapto. Antes colocariam um general no lugar dele. E a situação não vai melhorar. O coronavírus deixará no mínimo 1 morto para cada 10 mil habitantes, provavelmente muito mais, e Bolsonaro jamais abrirá mão de sua demência, e tão pouco os seus apoiadores, sem um pingo de vergonha em continuar a falsificar a realidade a sua volta e continuarem errando em absolutamente tudo o que se meterem a falar.

8 de Maio

Só pra lembrar porque a cloroquina deixou de ser assunto até na boca do grande mentecapto. Maior estudo já feito com hidroxicloroquina mostra que a droga não traz benefício no tratamento da Covid-19 (Estudo original em Observational Study of Hydroxychloroquine in Hospitalized Patients with Covid-19)

(15/05) Corrigindo, TINHA DEIXADO de ser assunto. Foi só sair mais uma pesquisa atestando mais uma vez a falta de evidência da eficiência da cloroquina para o genocida ficar doidinho para enfiá-la goela abaixo do país.

Mas Bolsonaro não está sozinho nessa apesar de Trump ter pulado fora. Ele agora tem a companhia de ninguém menos que Nicolás Maduro. Cloroquina 'une' Bolsonaro e Maduro em meio à pandemia de coronavírus

7 de Maio - 18:49

Ser bolsominion é: crer que generais da ativa dariam um golpe militar para ficar sob o comando de um civil, ex-capitão deformado reformado, cuja carreira militar foi marcada por insubordinações e ainda notoriamente incapaz de liderar sequer uma quadrilha miliciana familiar.

7 de Maio - 18:13

Pedro Ribeiro
7 de Maio

Seria a última pessoa a politizar a morte de um ente querido, então o que vou comunicar abaixo não é propagandismo ideológico, a favor ou contra quem quer que seja, mas apenas o relato fiel daquilo que experienciei cuidando dos trâmites da morte por coronavírus da minha avó.

Primeiro, a postura inicial do médico que me recebeu para comunicar a morte era claramente defensiva. Podia ver em seus olhos o desespero de quem está no meio de um turbilhão infernal e que tem diariamente a angústia de comunicar a familiares o óbito de pessoas por uma doença que mal se conhece direito e para cujo tratamento, infelizmente, o poder público não dá o suporte devido.

Conforme foi percebendo que eu não o culpava de modo algum, mas, ao contrário, reconhecia o esforço da equipe médica, que fez o que pôde, o médico foi se abrindo, se desarmando e mandando a real. Dele ouvi a seguinte frase, letra por letra: "Senhor Pedro, de um total de cem por cento de pacientes suspeitos de covid aqui no hospital, eu digo para você que cinco por cento, só cinco por cento faz o exame de comprovação. Não há insumos, não há materiais, não há nada".

Prosseguiu o médico: "Para o senhor ter uma noção, há vezes em que o quantitativo de SUAB's [exames comprobatório de coronavírus] que recebemos para uma semana é dez! Isso mesmo... Para um hospital do tamanho desse aqui de Saracuruna [tratava-se do Adão Pereira Nunes, hospital de referência para toda a Baixada Fluminense], com a quantidade de pacientes que tem, os caras às vezes mandam dez exames, quer dizer, para dez pacientes, por uma semana inteira. [...] Na prática, quando a gente identifica o quadro clínico de covid, seja pelos sintomas, seja pela tomografia, já fazemos o isolamento e tomamos as medidas-padrão de cuidado por precaução, mas, prova definitiva mesmo, quase ninguém tem. Daí, se o sujeito morre, o obituário oficial fica como suspeito de covid e não covid, mesmo que a gente tenha certeza pessoal que o caso era do novo vírus"

Perguntei como aquilo ia para as estatísticas. Ele disse que aqui no Rio, pelo menos, a política governamental é notificar como morte por corona esses casos sem exame probatório, mas nos quais a equipe médica tem certeza moral da causa. "Felizmente, ao menos", disse. Mas acrescentou: "Mesmo assim, como a falta de exames é absurda e muita gente, ou se recupera velozmente ou então morre rápido demais, tanto num caso como no outro sem um quadro clínico muito bem definido," certamente o número de subnotificações é gigantesco.

Ou seja, com certeza absoluta, até porque o Rio é, junto a SP, o lugar onde há mais mobilização governamental, a quantidade de mortos e de infectados no país é MUITO maior do que os dados oficiais apresentados no governo e na mídia.

Por fim, o médico, já em desabafo, se mostrou bastante puto com a indiferença das pessoas para com o problema, enquanto ele e seus colegas se expõe, dia a dia, ao Apocalipse. "Ninguém está levando a sério... As pessoas ficam passeando na rua". E derrubou também o médico outro mito: "Senhor Pedro, antes da sua avó entrar em isolamento, quem estava ao lado dela era uma jovem, de 32 anos, saudável, sem comorbidades, que não fumava, etc. Ela também contraiu corona e morreu um dia antes da Dona Jurema"

É isso, amigos. Se cuidem e fiquem em casa o quanto puderem.

Não é alarmismo não. O colapso existe e já chegou.


7 de Maio - 14:34

Vivi para ver Ministro do STF ameaçar conduzir Generais para interrogatório "debaixo de vara"!

7 de Maio - 10:47

Hoje, 7 de Maio, é o DIA DO SILÊNCIO. Eu nunca tinha ouvido falar, mas acho a ideia excelente. Com o objetivo de chamar atenção para o problema da poluição sonora, essa data cuja origem ainda nem esclareci deveria mesmo ser amplamente celebrada.

Moro num local onde tenho o privilégio de, regularmente, experimentar silêncios arrebatadores. Em geral, na madrugada. não é raro ficar no quintal, deitado numa cadeira de praia, por vezes sob a Lua Cheia, às 2 ou 3 da manhã, e testemunhar algo como se uma divindade baixasse e a tudo calasse.

Nada se houve. Por motivos misteriores os cães decidem se aquietar, os gatos emudecem, os insetos parecem inexistir. O ar para, tornando ausente até o farfalhar das folhas, e todos os vizinhos parecem tão quietos quanto eu.

É UM SILÊNCIO INACREDITÁVEL! As vezes testemunhado dentro de casa também. Como se de repente você tivesse ficado surdo, ao menos até que comece a ouvir o zumbido do cérebro, caso os movimentos peristálticos colaborem, e até as batidas do coração.

Você já ouviu, sem instumento algum, a batida do próprio coração.

Após uma delonga, chega a ser até um alívio ouvir um carro ou um avião distante. E não, não moro em área rural, até porque mais próximo da mata, não existe esse tipo de silêncio, pelo contrário. O que ocorre lá em casa é um exótico meio termo entre construções em terrenos grandes, com amplos jardins, suficientes para eliminar a típica bio sinfonia das matas de galeria ou das estepes do cerrado.

Um momento onde até mesmo as animais domésticos parecem obedecer um pacto contemplativo. Curiosamente, experimentei isso justamente nessa madrugada do Dia do Silêncio.

Conjugado ao fato de também ser o melhor local que conheço para contemplar o luar, a oportunidade de experimentar esse silêncio é um dos motivos pelo qual mudar do endereço que conheço há 32 anos é algo que está muito distante em qualquer escala atual de possibilidades.

7 de Maio - 3:44

Se algo cruza os céus e não se sabe se é um pássaro, um avião, ou o super homem, será um Objeto Voador Não Identificado. Podendo também ser balões, meteoros, aviões de espionagem, drones, aeronaves clandestinas transportando drogas, mísseis, projetos secretos ou qualquer coisa cuja comunicação falhe ou que se recuse a se identificar.

De OVNIs para naves extraterrestres existe uma distância... astronômica.

5 de Maio

TALES FROM THE LOOP, disponível na Amazon Prime ou num torrent perto de você, pode vagamente lembrar a excelente série alemã Dark*, por envolver uma cidade pequena, e como o nome sugere, distorções temporais, e sobretudo por girar em torno de questões familiares, embora seja focada numa família só, e por ser, por enquanto, bem mais simples, porém, mais misteriosa.

Trata-se de série de Ficção Científica essencialmente dramática. Com a exceção de uma breve perseguição numa floresta insular no sétimo episódio, e de uma também breve luta de robôs no último, não espere ver qualquer ação. No entanto, prende a atenção até mesmo daqueles que prefeririam ver algo mais agitado, mesmo sem nada prometer nesse sentido.

A excelente trilha sonora, que só peca por ser excessivamente parecida com a também excelente trilha de The Trumam Show, especialmente as faixas 4 e 14**, dita o tom da série de forma muito melhor do que Dark, que associada ao título, parece querer o tempo todo enganar o espectador fazendo-o crer que se está diante de clima de terror.

Mas talvez algo que torne Tales From The Loop mais interessante é ser um meio termo entre o modelo de série de episódios isolados ao estilo anos 80, e as séries de amarração novelesca que predominam na atualidade. Pois se as conexões entre os episódios são evidentes, o foco muda grandemente de um para outro. Por exemplo, no primeiro está centrada numa menina que logo no começo perde sua mãe, sendo então ajudada pela família central da série, e no segundo foca num outro membro dessa mesma família que havia aparecido apenas como um figurante. E assim vai, mudando de foco ao ponto de se distanciar totalmente do tema inicial, mas aos poucos conectando-os sutilmente até ficar evidente a consistência estrutural.

Essa série familiar, que nesse sentido só perde para a antológica Once Upon A Time*** (a meu ver, a série mais fortemente pró-família que já vi, embora possa não parecer a princípio), de seus oito episódios só tem dois destoantes do desenvolvimento do tema principal. O terceiro, nem tanto, que foca num romance paralelo isolado de uma das personagens secundárias conectadas ao filho mais velho da família central, e o sexto, esse bem mais dissonante, que apresenta a obrigatória cota "progressista", não tanto por ser culturalmente progressista, mas por ser forçada, onde o roteirista precisou incluir uma breve cena de amizade com a família principal apenas para não deixá-la completamente desconectada.

Aí nota-se que parece haver mesmo uma obrigação contratual, onde os autores vão desenvolvendo espontaneamente a estória até que alguém finalmente os lembre que tem que inserir a cota gay, parecendo fazê-la a contragosto e com certa falta de criatividade. Pois se ela fosse inserida logo num dos personagens centrais, no caso Jakob, já no segundo episódio, não só seria muito mais harmônica como até daria um sentido mais profundo e consistente a toda a trama.

Para piorar, parece até ser por vingança que os autores decidiram cumprir a cota gay e a negra ao mesmo tempo, deixando-as duplamente destoantes, desenvolvendo-as totalmente num único episódio que pode ser sem qualquer prejuízo ignorado, mesmo conectado vagamente ao episódio 3, que também cumpre uma cota de minorias.

Apesar disso, isoladamente os dois episódios funcionam muito bem, e acabam comovendo pelos seus dramas pessoas misturados a possibilidades abertas somente pela Ficção Científica. Apenas destoam da trama principal até mesmo na ousadia das tecnologias apresentadas.

Nesse ponto, a série apresenta aquele tipo de estética essencialmente contraditória, mas fascinante, parecendo ambientada nos anos 70 ou 80, onde fica claro não existir telefonia celular nem telas planas, mas ao mesmo tempo mostrando tecnologias robóticas além da nossa realidade. E a concepção artística e o clima da ambientação transforma essa estranheza num charme, com estruturas misteriosas por toda parte, robôs abandonados, maquinários estranhos e toda uma retratação que se baseia originalmente num mero livro de ilustrações do artista sueco Simon Stålenhag. Nesse sentido, me identifico muito com a ideia principal, que é observar uma bela concepção artística e, somente com base, nela, "viajar" ao ponto de desenvolver uma estória.

A série termina sendo menos ousada que as ilustrações do autor, que demandariam tecnologias e situações muito mais complexas, mas ainda assim sua estética é suficientemente intrigante para capturar tanto quanto os dramas que vão sendo introduzidos.

Ao final do oitavo e último episódio, temos o fechamento de um arco onde embora muitas coisas fiquem explicadas, restam mistérios suficientes para despertar desejo por uma segunda temporada. Porém, o mistério inaugural, desenvolvido logo nos primeiros momentos do primeiro episódio, permanece em aberto. O que ocorreu com a mãe da menina que pareceu voluntariamente se ausentar em prol de um projeto científico pessoal?

Foi deste momento que já me lembrei de Once Upon A Time, que sob várias camadas de contos de fada, basicamente desenvolve contos de redenção e relacionamento familiar, onde até mesmo a rainha má da Branca de Neve termina redimida, junto com Malévola, Capitão Gancho, e vários outros seres fantásticos e mitológicos, e onde o único pecado imperdoável é abandonar os filhos.

Por fim, o "Loop" também ainda permanece um mistério. Sabe-se que foi construído todo um massivo projeto científico em torno dele, e que grande parte da própria economia da cidade gira em torno desse projeto, sendo desde a infância objeto de preocupação dos estudantes se terão notas suficientemente boas para no futuro trabalhar no Loop.

Ainda não se sabe se haverá uma segunda temporada, mas mesmo que se encerre aqui, apesar das pontas soltas, a série termina sendo satisfatória, merecendo ser vista e até revista na íntegra, mesmo que alguns episódios funcionem bem isoladamente.

4 de Maio - 21:55

Apesar de recentemente ter havido notória redução da criminalidade, o caso ocorrido em Ourinhos - SP não parece ter paralelo ao menos na história recente. Uma milícia de dezenas de homens com armamento pesado praticamente sitiar uma cidade de 115 mil habitantes por uma noite inteira, neutralizando por completo qualquer reação policial, roubando dezenas de milhões de vários bancos e escapando completamente ilesa, parece premissa de filme de ação.

Há tempos alguns tem previsto que o Brasil caminhe para se tornar um narco estado, como já tem ocorrido em grande parte do México ou da Colômbia, apesar que neste último caso, após assumir um governo submisso aos EUA, nunca mais se tocou no assunto e até as FARC, que continuam lá, passaram a se ignoradas.

Mas se ter corruptos no governo é, além de tudo mais, um exemplo que inspira a corrupção generalizada, então, havendo milicianos no poder, seria de se esperar o quê?

4 de Maio - 20:30


4 de Maio - 08:06

Ser bolsominion é:
- Culpar o carnaval por disseminar o vírus;
- Continuar apoiando aglomerações.

3 de Maio - 20:41

Passamos a barreira dos 7 mil mortos, e logo ultrapassaremos a Bélgica, passando a liderança inconteste do "terceiro grupo" de infectados, sendo o primeiro, os EUA, e o segundo os 4 países europeus quase empatados. O print do gráfico do Worldmeters está ordenado pelo número de mortes, que acho mais confiável que de casos, considerando menor incidência de subnotificação.

A boa notícia é que sendo o Brasil só não mais populoso que os EUA, nosso índice de mortes por milhão de habitantes é muito abaixo dos demais, 33, sendo que o segundo mais baixo, dos EUA, 207. Mas a má notícia é que nosso índice de crescimento é muito alto, só perdendo pros EUA e hoje pro Reino Unido, pois em dias anteriores, com média de 400 novas mortes, estávamos também acima. Lembrando que estamos no domingo e os índices nos dias úteis são maiores devido a maior rapidez dos registros.

Observe também o índice de casos críticos, e o de testes, tanto relativo quanto absoluto, para notar que nossa situação é extremamente preocupante.

Isso quer dizer que temos sim potencial para ficar em situação pior que a do segundo grupo, ainda mais quando comparamos as curvas de evolução de mortes. Eu esperava que a situação aqui fosse ser melhor, mas nossas perspectivas não são boas. Átila Marino foi ainda mais certeiro do que eu esperava.

Quando nos comparamos com o restante da América do Sul, (o site permite várias configurações de visualização) a situação fica ainda mais alarmante. O Brasil tem mais ou menos a mesma população do restante do continente sul, mas tem quase o dobro do número de mortes, mesmo sendo um país mais desenvolvido e com um sistema de saúde melhor que a maioria de nossos vizinhos. Quando comparados justo aos outros dois mais populosos, Colômbia e Argentina, a situação se torna vergonhosa.

A maior explicação para isso é auto evidente, e só mesmo bolsominion carece de capacidade mental para vê-la de imediato.

3 de Maio - 1:30

Sendo Sérgio Moro o "Judas Iscariotes", e sendo óbvio que Jair é o próprio "Messias", defendo que devemos conceder-lhe um voto de fé. Infrinjamos-lhe uma via crúxis e o crucifiquemos entre ladrões, que é o que não falta no Centrão, e soltemos Adélio Bispo para que reprise o infame papel do centurião Longino. Esperemos por três dias.

2 de Maio - 16:02

Enquanto rola o depoimento...


2 de Maio - 11:17

Agora que as fontes cabíveis se pronunciaram oficialmente encerrando as especulações sobre a morte de Kim Jong-un, você, que porventura tenha acreditado na hoax e até vibrado de empolgação com possíveis mudança no regime da RPDC, tem as seguintes opções:

a) aceitar que foi a angústia do isolamento social que lhe levou a dar atenção demais a qualquer mudança de assunto;

b) admitir que foi feito de otário mesmo e ter orgulho disto, uma vez que já foi feito de otário pela mídia a vida inteira e continuará sendo sempre que o assunto for RPDC;

c) não acreditar na divulgação oficial não contestada por qualquer governo do mundo e continuar acreditando da fofoca baseada em fontes anônimas, tomando a aparição do líder norte coreano como "fake news" nem que seja na base de um andróide, realidade aumentada, ressurreição, necromancia ou qualquer outra coisa. (Esse opção é obrigatória para bolsonaristas. Ou você não sabia que a RPDC tem exército de clones?


1 de Maio

Quando eu era pequeno, ante ao uso do emblemático "E daí?", alguma criança esperta replicava com "Tira as calça e mija aí!" o que era, na cabeça de qualquer guri que se preze, um arraso. Mas eu fui ainda mais longe e criei a matadora contra resposta "E você lambe o xixi!" o que me garantiu grandes vitórias poéticas infantis.

Fico pensando que se estivesse lá na entrada do Palácio do Planalto (não é longe daqui de casa) no tal fatídico momento e tivesse assim replicado ao Presidente, talvez ele até entrasse o jogo. (Há várias outras contra respostas concebíveis mantendo a devida rima.)

Eclodiu entre os bolsonaristas, frenéticos na defesa intransigente de seu mito, acusações da parcialidade da mídia com relação a coisas muito mais simpáticas e razoáveis que ele disse antes ou depois, enquanto a "extrema mídia" focou no "e daí".

É verdade, claro. Sempre foi assim. A mídia seleciona e divulga o que convém, assim como inúmeras pessoas fazem e especialmente os bolsonaristas, que são capazes de ignorar totalmente uma década de perseguição midiática contra o PT, Dilma, Lula e sua família, e ter a desfaçatez de dizer que nunca se perseguiu tanto um presidente! (Chegam ao ponto de inventarem textos falsamente atribuídos a globistas.) Com a diferença que os outros presidentes sequer retaliavam e nunca fizeram declarações de hostilidade aberta à mídia.

Só que tudo o que Bolsonaro costuma dizer de aparentemente sensato soa artificial, ensaiado, escrito por acessores e recomendado por aliados. Quando se joga na frente dele um dado inesperado, aí a espontaneidade aflora, espontaneidade esta que é uma das responsáveis pelo seu sucesso. Esse Bolsonaro que mede palavras é um bolsonaro domado, na coleira, por medo que seus aliados tem de que ele acelere ainda mais sua descida ao próximo recorde de profundidade na infra política.

O "não sou coveiro" ou "é só uma gripezinha" são muito mais autênticos, e em nome dessa autenticidade os bolsonaristas deveriam abraçar e defender o "E daí?", afinal esse é seu modo de operação padrão. Foi essencialmente a mesma coisa após o incêndio da Biblioteca Nacional, com total desconsideração ao patrimônio cultural, bem como com os incêndios na Amazônia, em desprezo pelo patrimônio ambiental e pela imagem do país. Mas quando atearam fogo numa Estátua da Liberdade da Havan, aí sim, tivemos uma pronta solidariedade e nota de condolência ao "coitadinho" do bilionário. (Pra ficar nums pouquíssimos e benevolentes exemplos.)

É incrível estarem até hoje defendendo o elemento, anos-luz além da mais residual e ínfima migalha de bom senso, e mesmo assim não o aceitarem como ele é. Como se ele fosse outra coisa além dessa figura que inspira o desprezo absoluto pela realidade e o afogamento completo no universo das fraudes, hoaxes, fake news e toda sorte de perversão disposta a negar o real e edificar delírios em cima de ilusões sobre miragens fundamentadas em mitos.

A perspectiva MÍNIMA é de 13 mil mortos pelo COVID-19 antes do segundo semestre. Se Nelson Teich estiver certo, pode quintuplicar esse número mesmo que passemos pelo pico antes do meio do ano. Se chegarmos a mil mortes diárias, se tornaria A MAIOR causa de mortes, superando AVCs, infartos, acidentes e assassinatos.

E daí? Como agirão os bolsonaristas? Da mesmíssima forma! Negando todos os fatos e inventando mentiras cada vez mais calhordas, pois tudo não passa de conspiração perpetrada pela totalidade do mundo contra o ungido em sua missão sagrada de libertar o Brasil do "comunismo", o que pressupõe matar o máximo de pessoas possível.

E daí? Tira a faixa e sai, Jair!

Abril de 2020









































2020

Abril

Março

Fevereiro

Janeiro

2019

Dezembro

Novembro

Outubro

Setembro

Agosto

Julho

Junho

Maio

Abril

Março

Fevereiro

Janeiro

2018

Dezembro

Novembro

Outubro

Setembro

Agosto

Julho

Junho

Maio

Abril

Março

Fevereiro

Janeiro

2017

Dezembro

Novembro

Outubro

Setembro

Agosto

Julho

Junho

Maio

Abril

Março

Fevereiro

Janeiro

2016

Dezembro

Novembro

Outubro

Setembro

Agosto

Julho

Junho

Maio

Abril

Março

Fevereiro

Janeiro

2015

Dezembro

Novembro

Outubro

Setembro

Agosto

Julho

Junho

Maio

Abril

Março

Fevereiro

Janeiro

2014

Dezembro

Novembro

Outubro

Setembro

Agosto

Julho

Junho

Maio

Abril

Março

Fevereiro

Janeiro

2013

Dezembro

Novembro

Outubro

Setembro

Agosto

Julho

Março à Junho

Fevereiro

Janeiro

2012

Dezembro

Novembro

Outubro

Setembro

Agosto

Julho

Junho

Maio

Abril

Março

Fevereiro

Janeiro

2011

Novembro e Dezembro

Setembro e Outubro

Julho e Agosto

Abril a Junho

Março

Fevereiro

Janeiro

2010

Dezembro

Novembro

Outubro

Setembro

Agosto

Julho

Junho

Maio

Abril

Janeiro a Março

2009

Dezembro

Novembro

Outubro

Setembro

Agosto

Julho

Junho

Maio

Março e Abril

Fevereiro

Janeiro

2008

Novembro e Dezembro

Outubro

Setembro

Agosto

Julho

Junho

Maio

Abril

Março

Janeiro e Fevereiro

2007

Dezembro

Novembro

Setembro e Outubro

Julho e Agosto

Maio e Junho

Março e Abril

Janeiro e Fevereiro

2006

Outubro, Novembro e Dezembro

Setembro

Agosto

Julho

Maio e Junho

Abril

Março

Janeiro e Fevereiro

2005

Novembro e Dezembro

Setembro e Outubro

Junho a Agosto

Maio

Março e Abril

Fevereiro

Janeiro

2004

Dezembro

Novembro

Outubro

Setembro

Agosto